Reino Unido usa 750 milhões de libras para financiar projetos em Angola

O Reino Unido vai ajudar Angola com 750 milhões de libras (859.801.000 euros), que servirão para apoiar os projetos desenvolvidos no país africano. A revelação foi feita esta quarta-feira, 07 de novembro, por Lindsay Northover, enviada da primeira-ministra britânica, Theresa May, durante o primeiro dia da visita oficial de três dias a Angola. A sua deslocação tem como objetivo reforçar as relações de cooperação entre os dois países.

Após a reunião com o ministro das Finanças angolano, Archer Mangueira, Lindsay Northover disse aos jornalistas que o Reino Unido está a financiar diversos projetos inseridos no Plano de Desenvolvimento Nacional, entre eles a construção e manutenção das subestações elétricas de Viana e Gabela.

Northover partilhou ainda que o encontro com o ministro das Finanças foi importante para ser realizada a escolha dos projetos prioritários para o respetivo financiamento, estando já alguns deles em fase de implementação. “Estou muito contente por os primeiros projetos designados terem sido, finalmente, validados e saído do papel”, referiu.

A enviada de Theresa May acrescentou que os projetos das subestações elétricas de Viana e Gabela são os primeiros a ser implementados e que estes vão ajudar a distribuir energia elétrica às populações de Luanda e do Cuanza-Sul. “Estas subestações precisavam de ter manutenção e melhorias, para que a energia vinda de Laúca possa chegar a estas áreas”, esclareceu.

Lindsay Northover, que afirmou estar contente por visitar Angola pela nona vez, veio acompanhada por uma delegação constituída por representantes da Agência de Crédito à Exportação do Reino Unido (UKEF) e de empresas britânicas que participam na diversificação da economia em Angola, entre elas a KCA Deutag, HSBC, Rolls Royce, IQA/Elecnor, Aggeko, ASGC, Standard Charted e Incatema. Northover irá reunir-se também com os titulares dos departamentos ministeriais da Saúde, Energia e Águas, Transportes, Recursos Minerais e Petróleos e Agricultura, e ainda com o governador de Luanda.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Cabo Verde é dos 21 melhores destinos para visitar em 2023

Cabo Verde é dos 21 melhores destinos para visitar em 2023

Cabo Verde encontra-se entre os 21 melhores destinos para se visitar em janeiro de 2023, de acordo com a lista…
Angola: Acidentes de viação são segunda causa de morte do país

Angola: Acidentes de viação são segunda causa de morte do país

A Vice-Presidente de Angola, Esperança da Costa, partilhou a sua surpresa no que diz respeito à existência de um grande número…
Moçambique recebe mais USD 59 milhões do FMI para OE

Moçambique recebe mais USD 59 milhões do FMI para OE

O Fundo Monetário Internacional (FMI) concluiu a primeira avaliação do programa de financiamento de três anos ao Orçamento do Estado…
Moçambique: FMI prevê elevado crescimento do crédito à economia

Moçambique: FMI prevê elevado crescimento do crédito à economia

O Fundo Monetário Internacional (FMI) estima um crescimento considerável do crédito à economia em 2023 para Moçambique.  Se isso se…