UNITA desafia Ministério Público angolano

Adalberto da Costa Júnior, presidente do grupo parlamentar da UNITA, desafiou o Ministério Público angolano a dar início às investigações relacionadas com os casos de corrupção e branqueamento de capitais que envolvem líderes políticos angolanos em Portugal.

Em conferência de imprensa, Adalberto da Costa Júnior afirmou ainda que as notícias que ligam líderes políticos de Angola com o caso do Banco Espírito Santo Angola (BESA) afectam a imagem internacional do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Timor-Leste: Representante da CPLP apela à participação nas presidenciais

Timor-Leste: Representante da CPLP apela à participação nas presidenciais

O chefe da missão de observação da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) às eleições presidenciais em Timor-Leste, o…
Dia Mundial do Teatro celebrado no Rossio e online

Dia Mundial do Teatro celebrado no Rossio e online

Este ano, o Teatro Nacional D. Maria II celebra o Dia Mundial do Teatro no Rossio, mas também noutras zonas…
Líderes dos EUA e da China conversam sobre guerra

Líderes dos EUA e da China conversam sobre guerra

Os Presidentes dos Estados Unidos da América (EUA), Joe Biden, e da China, Xi Jinping, iniciaram uma conversa telefónica nesta…
Moçambique: Polícia anúncia morte                    de 10 terroristas na Ilha Matemo, em Cabo Delgado

Moçambique: Polícia anúncia morte  de 10 terroristas na Ilha Matemo, em Cabo Delgado

A Polícia da República de Moçambique, em Cabo Delgado, anunciou na passada quinta-feira, em Pemba, a morte de 10 supostos terroristas, que desde a madrugada de quarta-feira invadiram a ilha Matemo, no arquipélago das Quirimbas.O Porta-voz da PRM em Cabo Delgado, Ernesto Madungue, disse que, as Forças de Defesa e Segurança, ainda trabalham para tirar de acção, outros elementos terroristas, que alegadamente estão misturados com a população.O Porta-voz da corporação em Pemba, não esclareceu, como as FDS estão a trabalhar, para não pôr em causa ou mesmo confundir os…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin