Brasil: Aplicação Telegram apaga mensagens do Presidente Bolsonaro

O aplicativo de mensagens instantâneas Telegram excluiu, neste sábado, 19, um texto do canal oficial do presidente da República, Jair Bolsonaro (PL). A decisão foi tomada em cumprimento a ordem do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, que estabeleceu o prazo de 24 horas para que a plataforma acatasse integralmente as decisões da Corte.

Na mensagem apagada, o chefe do Executivo divulgava conteúdos sigilosos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e fazia ataques à segurança das urnas eletrônicas, com falsas afirmações sobre uma suposta fraude no sistema de votos. A publicação foi feita no dia 4 de agosto de 2021 e desde ontem foi substituída por um aviso de que o texto violou a legislação do país.

Entre as medidas que o Telegram precisa cumprir para seguir operando no Brasil estão a nomeação de um representante legal no país, a eliminação de perfis que disseminam desinformação, como as do blogueiro bolsonarista Allan dos Santos, e o detalhamento de quais medidas a empresa adota para combater essa questão.C

Carlos Vasconcelos 

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Cabo Verde: PAICV comenta abandono da barragem de Canto de Cagarra

Cabo Verde: PAICV comenta abandono da barragem de Canto de Cagarra

Os deputados do PAICV eleitos por Santo Antão alertaram nesta quinta-feira, 05 de janeiro, para a situação de abandono da…
Mães e crias em migrações pouco pacíficas

Mães e crias em migrações pouco pacíficas

Uma mãe e a sua cria nadam, lado a lado, ao longo da costa numa zona de águas baixas. Depois…
Angola: FNLA fala de planos para 2023

Angola: FNLA fala de planos para 2023

O líder da Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA), Nimi a Nsimbi, comentou as atividades relevantes para este ano de…
Moçambique: PRM dá nota positiva ao balanço da quadra festiva

Moçambique: PRM dá nota positiva ao balanço da quadra festiva

Decorreu ontem, 05 de janeiro, em Maputo, a reunião de balanço da quadra festiva, à qual os representantes da Polícia…