Brasil: BNDES elegeu novos diretores para o Conselho de Administração

O Conselho de Administração do Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social (BNDES) elegeu como novos diretores, no último dia 12, Alexandre Corrêa Abreu, José Luís Pinho Leite Gordon, Nelson Henrique Barbosa Filho e Luiz Augusto Fraga Navarro de Britto Filho.

Alexandre Corrêa Abreu será o diretor de Finanças e Crédito Digital para MPMEs (DIR3) e vai liderar as áreas Financeira, de Controladoria e de Operações e Canais Digitais. Também assume, interinamente, a Presidência do BNDES, a DIR1 (que responde pelas áreas de Tecnologia da Informação e de Suporte ao Negócio) e a DIR4 (Área de Mercado de Capitais, Participações e Reestruturação de Empresas). Alexandre atuou durante 30 anos no Banco do Brasil, onde foi presidente. Também presidiu o Banco Original, entre 2019 e 2022. Integrou conselhos em empresas como Cielo e Banco Votorantim e foi membro da diretoria executiva da Febraban.

Indicado para a nova Diretoria de Desenvolvimento Produtivo e Inovação (DIR7), José Luis Pinho Leite Gordon assume as áreas de Área de Gestão Pública e Socioambiental e de Indústria, Serviços e Comércio Exterior. Doutor em Economia pela UFRJ, com várias publicações na área de Inovação, Gordon foi assessor especial do Ministério da Ciência e Tecnologia e do Ministério da Educação no governo Dilma Rousseff. Também atuou como secretário-executivo da Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE) e presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii).

PhD em Economia pela New School for Social Research, o novo diretor de Planeamento (DIR8), Nelson Henrique Barbosa Filho vai liderar as áreas de Área de Planeamento Estratégico, de Saneamento, Transporte e Logística e de Energia. Ele também assume, interinamente a DIR5 (responsável pelas áreas de Governo e Relacionamento Institucional, Parcerias em Infraestrutura Social e Serviços Ambientais e de Parcerias em Infraestrutura Económica e Desinvestimento). Ele foi ministro da Fazenda e do Planeamento no governo Dilma Rousseff. Também presidiu o Conselho de Administração do Banco do Brasil e compôs o Conselho de Administração da Vale e do BNDES. Barbosa também já atuou como assessor da Presidência do Banco entre 2005 e 2006. É professor da Escola de Políticas Públicas e Governo (EPPG), da FGV.

Para a Diretoria de Compliance e Riscos (DIR9), foi indicado Luiz Augusto Fraga Navarro de Britto Filho, que será responsável pelas áreas de Integridade e Compliance e de Gestão de Riscos. Formado e pós-graduado em Direito pela Universidade de Brasília (UnB). Possui mestrado em Políticas Anticorrupção pela Universidade de Salamanca. É consultor legislativo do Senado Federal e membro do Comité Consultivo Sênior da Academia Internacional Anticorrupção. Já foi Ministro-Chefe da CGU (Controladoria Geral da União), presidente da Comissão de Ética Pública da Presidência da República (CEP) e membro do Conselho de Controlo de Atividades Financeiras (Coaf).

O presidente e os outros cinco diretores indicados serão efetivados nas suas funções após a finalização dos trâmites de governança aplicáveis, incluindo a deliberação pelo Conselho de Administração do BNDES, prevista até o fim de janeiro.

Ígor Lopes

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Moçambique recebe do Japão cinco viaturas de bombeiros

Moçambique recebe do Japão cinco viaturas de bombeiros

O Governo japonês disponibilizou cerca de 170 mil dólares a Moçambique para a aquisição de cinco viaturas destinadas ao Serviço…
Angola: Reintegrados mais de 500 ex-militares em ações contra fome e pobreza

Angola: Reintegrados mais de 500 ex-militares em ações contra fome e pobreza

A vice-governadora provincial para o setor Político, Social e Económico de Benguela, Lídia Amaro, afirmou que 593 ex-militares foram reintegrados…
Banco Mundial indica crescimento de 4,1% para Timor-Leste

Banco Mundial indica crescimento de 4,1% para Timor-Leste

O Banco Mundial prevê que Timor-Leste registe um crescimento económico de 4,1% em 2024 e 2025, através do alívio das…
UE doa 50 milhões de euros à ONU para refugiados palestinianos

UE doa 50 milhões de euros à ONU para refugiados palestinianos

A União Europeia (UE) anunciou o envio da próxima parcela de 50 milhões de euros para a Agência das Nações…