Brasil: Bolsonaro e Haddad apelam contra a violência

Os candidatos rivais Jair Bolsonaro, do Partido Social Liberal (PSL), e Fernando Haddad, do Partido dos Trabalhadores (PT), que continuam a disputar o cargo de Presidente do Brasil até 28 de outubro, data da segunda volta das eleições presidenciais, decidiram apelar publicamente esta quarta-feira, 10 de outubro, contra a violência que tem ocorrido durante a campanha eleitoral entre simpatizantes dos dois políticos, principalmente desde a primeira volta realizada no domingo, 07 de outubro.

O candidato do PSL usou as redes sociais para publicar uma mensagem sobre as agressões existentes entre os cidadãos brasileiros. “Dispensamos voto e qualquer aproximação de quem pratica violência contra eleitores que não votam em mim. A este tipo de gente peço que vote nulo ou na oposição por coerência, e que as autoridades tomem as medidas cabíveis, assim como contra caluniadores que tentam nos prejudicar”, escreveu Bolsonaro.

Também o candidato do PT decidiu usar as redes para se pronunciar acerca deste assunto. “Estamos conversando com todas as forças que queiram conter a barbárie, que está em escalada no país. Nós temos que botar um fim nessa violência. É demais o que está acontecendo”, referiu. Haddad acrescentou ainda que o seu partido estava a receber “mensagem de atos de violência em todo o país, alguns chegam à imprensa, outros não, além da continuidade das mentiras pelo WhatsApp e pelo Facebook”, concluindo que esta situação “precisa parar. Violência não se responde com violência”.

Em Salvador da Bahia, um mestre de capoeira foi morto à facada na terça-feira, dia 9, após uma discussão política. O suspeito é apoiante de Jair Bolsonaro, que lamentou este episódio e afirmou que o seu simpatizante cometeu um excesso. “O que eu tenho a ver com isso? Eu lamento. Peço ao pessoal que não pratique isso. Eu não tenho controle sobre milhões e milhões de pessoas que me apoiam”, disse, sublinhando que também existia violência e intolerância do lado dos apoiantes de Haddad.

Segundo uma sondagem do instituto “Datafolha”, divulgada pelo jornal “Estadão”, o candidato do PSL continua a ser o preferido da maioria dos brasileiros, ao obter 58% dos votos válidos na segunda volta. Já o candidato do PT mantém-se em segundo lugar, com 42% dos votos, igualmente válidos. Recorde-se que, na primeira volta das eleições, Bolsonaro conquistou 46% dos votos e Haddad 29,3%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Afeganistão: Mulheres proibidas de aparecer em programas de entretenimento

Afeganistão: Mulheres proibidas de aparecer em programas de entretenimento

O governo talibã lançou uma nova regra no Afeganistão. Segundo o próprio, as mulheres estão proibidas de aparecer em programas de…
Cabo Verde: PR sugere debate sobre financiamento do ensino superior

Cabo Verde: PR sugere debate sobre financiamento do ensino superior

O Presidente da República de Cabo Verde, José Maria Neves, propôs nesta segunda-feira, 22 de novembro, um debate “sério e aprofundado” sobre…
Moçambique: Mueda recebe mais deslocados após novos ataques

Moçambique: Mueda recebe mais deslocados após novos ataques

Os distritos de Macomia, Mueda, Muidumbe e Nangade foram novamente alvos de ataques terroristas.  A situação está a fazer com que o distrito de Mueda, no…
Angola: PRS defende maior atenção aos problemas sociais do povo

Angola: PRS defende maior atenção aos problemas sociais do povo

O secretário-geral do Partido de Renovação Social (PRS), Rui Malopa Miguel, considera que o Governo angolano deve dar maior atenção aos problemas…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin