Brasil: China anuncia reunião de Lula com Xi Jinping no final de março 

Confirmado o encontro entre o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e o presidente da China , Xi Jinping, marcado oficialmente para o período de 26 a 31 de março próximo. O anúncio foi feito nesta sexta-feira (17/03), pelo porta-voz do Ministério de Relações Exteriores, Hua Chunying.

De acordo com o diplomata, as conversas “devem promover a associação estratégica integral entre os dois países”, para “marcar o início de uma nova era” nas relações entre ambos”.

Será a primeira visita de Lula à China desde que iniciou seu terceiro mandato, em janeiro. “Convidado pelo presidente chinês, Xi Jinping, o presidente da República Federativa do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, fará uma visita de Estado”, referiu o porta-voz.

‘Parceiro absolutamente fundamental’: Clima, governança global e economia serão temas da visita de Lula à China, diz o  assessor internacional do governo brasileiro, ex-chanceler Celso Amorim.

Em uma entrevista coletiva após o anúncio, o representante da diplomacia chinesa, Wang Wenbin, declarou que a visita “marcará o início de uma nova era e um novo futuro para as relações entre China e Brasil, a nível de chefes de Estado”.

As conversas devem “promover a associação estratégica integral entre China e Brasil a um novo nível, e haverá novas contribuições para a promoção da estabilidade e da prosperidade regional e global”, acrescentou.

Lula, que governou o Brasil entre 2003 e 2010, busca romper o isolamento internacional do país que marcou o mandato de seu antecessor, o político de extrema direita Jair Bolsonaro.

O anúncio da viagem acontece depois de Lula ter se reunido com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, na Casa Branca em fevereiro.

Em um momento de tensão internacional pela guerra na Ucrânia, Lula estimula uma proposta para que o Brasil participe em um eventual processo de diálogo entre várias nações para encerrar o conflito entre Moscou e Kiev.

A China é o maior parceiro comercial do Brasil, com US$ 152 bilhões (R$ 803 bilhões) de comércio bilateral no ano passado, muito à frente dos EUA, com US$ 88,8 bilhões (R$ 469 bilhões).

As duas economias integram o grupo de economias emergentes BRICS, ao lado de Rússia, Índia e África do Sul. Lula expressou o desejo de retomar os laços cordiais com a China, em contraste com o antecessor.

A China anunciou em janeiro um convite ao presidente brasileiro, mas não havia divulgado uma data específica para a visita.

Carlos Vasconcelos – Correspondente 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Recorde mínimo de gelo marinho na Antártida seria “extremamente improvável” sem alterações climáticas

Recorde mínimo de gelo marinho na Antártida seria “extremamente improvável” sem alterações climáticas

Um grupo de cientistas do British Antarctic Survey descobriu que os níveis recorde de gelo marinho, na Antártida, em 2023,…
STP: País recebe apoio financeiro da ONU apoia para reformar Justiça e Segurança

STP: País recebe apoio financeiro da ONU apoia para reformar Justiça e Segurança

A Comissão de Consolidação da Paz, da ONU, realizou, nos dias 13 a 15 de maio, uma visita a São…
Secretário-geral da ONU defende maior representação dos países africanos no Conselho de Segurança

Secretário-geral da ONU defende maior representação dos países africanos no Conselho de Segurança

António Guterres, Secretário-geral da ONU, num debate convocado por Moçambique para abordar o reforço do papel dos Estados africanos em…
Cabo Verde: Imposto turístico subiu 21% até abril

Cabo Verde: Imposto turístico subiu 21% até abril

Cabo Verde arrecadou, no primeiro quadrimestre de 2024, 561 milhões de escudos através da taxa paga pelos turistas que visitaram o…