Brasil: Demissão do Ministro da Justiça teve interferência de Lula da Silva

O antigo ministro da Justiça do Brasil, José Eduardo Cardozo, que apresentou no domingo, 28, a sua demissão à presidente Dilma Rousseff, reconheceu que a sua situação como ministro era “insustentável” e que estava irritado com o PT e com o antigo Presidente Lula da Silva.

O jornal Folha de São Paulo revela que, ao chegar ao Palácio do Planalto para apresentar a sua demissão, Cardozo disse a amigos que tinha “perdido a paciência” face às pressões do PT e do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que pediam há meses a sua saída do cargo.

O jornal diz que Lula da Silva considera Cardozo o responsável pelo avanço das investigações da operação Lava Jato, já que, nas palavras do ex-presidente, “Zé Eduardo não controla a Polícia Federal”.

Em sua defesa, o ministro diz que sempre rejeitou interferências externas na corporação e que a Polícia Federal age de forma “independente”.

De acordo com as mesmas fontes, Lula da Silva fez chegar à Presidente Dilma Rousseff a declaração de que pretende concentrar-se na sua defesa pessoal e na reconstrução da imagem do PT, deixando para segundo plano os problemas no Ministério da Justiça.

Lula pedia mudanças na política económica do país e a mudança do ministro da Justiça, o que foi contemplado esta semana, após muita negociação.

Aliados do ex-Presidente dizem que, após a mudança na pasta da Justiça, a disposição de Lula com o Governo “vai depender do desempenho” do novo ministro, Wellington César, próximo do ministro da Casa Civil, Jaques.

Após pouco mais de cinco anos como ministro da Justiça, Cardozo disse a Dilma Rousseff que queria deixar o Governo mas, com poucos quadros de confiança à disposição no momento em que vive a maior crise política do seu mandato, Dilma pediu que o ministro permanecesse na Advocacia-Geral da União, tendo a proposta sido aceite.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Ativistas não concordam que Angola deixe a lista de países autoritários

Ativistas não concordam que Angola deixe a lista de países autoritários

Angola deixou de fazer parte da lista de países autoritários do Índice de Democracia no Mundo em 2023, elaborado pela…
Moçambique: Corte da estrada que dá acesso à vila de Quissanga está a provocar carência de alimentos

Moçambique: Corte da estrada que dá acesso à vila de Quissanga está a provocar carência de alimentos

O transbordo do rio Montepuez e destruição de uma das pontes provocou o corte do acesso rodoviário à vila sede…
Moçambique: PR diz que União Africana apoia agenda do país

Moçambique: PR diz que União Africana apoia agenda do país

O Presidente da República de Moçambique, Filipe Nyusi, afirmou que a 37.ª Cimeira da União Africana deu uma nota positiva…
Carlos Gonçalves, candidato pelo círculo europeu pela Aliança Democrática

Carlos Gonçalves, candidato pelo círculo europeu pela Aliança Democrática

“Definir um grande Plano Estratégico para as Comunidades Portuguesas” Carlos Alberto Silva Gonçalves, tem 62 anos de idade e volta…