Brasil: Demissão do Ministro da Justiça teve interferência de Lula da Silva

O antigo ministro da Justiça do Brasil, José Eduardo Cardozo, que apresentou no domingo, 28, a sua demissão à presidente Dilma Rousseff, reconheceu que a sua situação como ministro era “insustentável” e que estava irritado com o PT e com o antigo Presidente Lula da Silva.

O jornal Folha de São Paulo revela que, ao chegar ao Palácio do Planalto para apresentar a sua demissão, Cardozo disse a amigos que tinha “perdido a paciência” face às pressões do PT e do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que pediam há meses a sua saída do cargo.

O jornal diz que Lula da Silva considera Cardozo o responsável pelo avanço das investigações da operação Lava Jato, já que, nas palavras do ex-presidente, “Zé Eduardo não controla a Polícia Federal”.

Em sua defesa, o ministro diz que sempre rejeitou interferências externas na corporação e que a Polícia Federal age de forma “independente”.

De acordo com as mesmas fontes, Lula da Silva fez chegar à Presidente Dilma Rousseff a declaração de que pretende concentrar-se na sua defesa pessoal e na reconstrução da imagem do PT, deixando para segundo plano os problemas no Ministério da Justiça.

Lula pedia mudanças na política económica do país e a mudança do ministro da Justiça, o que foi contemplado esta semana, após muita negociação.

Aliados do ex-Presidente dizem que, após a mudança na pasta da Justiça, a disposição de Lula com o Governo “vai depender do desempenho” do novo ministro, Wellington César, próximo do ministro da Casa Civil, Jaques.

Após pouco mais de cinco anos como ministro da Justiça, Cardozo disse a Dilma Rousseff que queria deixar o Governo mas, com poucos quadros de confiança à disposição no momento em que vive a maior crise política do seu mandato, Dilma pediu que o ministro permanecesse na Advocacia-Geral da União, tendo a proposta sido aceite.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Cabo Verde: MpD congratula-se com distinção de país africano mais livre

Cabo Verde: MpD congratula-se com distinção de país africano mais livre

O Movimento para a Democracia (MpD) regozijou-se nesta segunda-feira, 30 de janeiro, pelo facto de Cabo Verde ter recebido a…
Moçambique: Nyusi dirige abertura oficial do ano letivo

Moçambique: Nyusi dirige abertura oficial do ano letivo

O chefe de Estado moçambicano, Filipe Nyusi, vai dirigir a abertura oficial do ano letivo nesta quarta-feira, 01 de fevereiro. …
Timor-Leste e ASEAN traçam linhas de adesão em Jacarta

Timor-Leste e ASEAN traçam linhas de adesão em Jacarta

O Governo timorense informou nesta terça-feira, 31 de janeiro, que Timor-Leste e os países-membros da Associação de Nações do Sudeste…
Angola: BD elege novo vice-presidente

Angola: BD elege novo vice-presidente

O Conselho Nacional do Bloco Democrático (BD) elegeu Nelson Guerra Pestana para vice-presidente do partido. Justino Pinto de Andrade deixa…