Brasil é o primeiro país da América Latina a aderir ao Clube de Paris

O Brasil formalizou esta sexta-feira a sua adesão ao restrito Clube de Paris que reúne, “informalmente”, os credores públicos dos países ditos como “industrializados”. A adesão do Brasil revela a nova aposta do “Clube” nos países emergentes.

“O Clube de Paris será também reforçado com a adesão do Brasil, depois da Coreia em julho passado”, disse o embaixador de Fraça no Brasil, Laurent Bili, durante a cerimónia de formalização da adesão que contou com a presença do ministro das Finanças brasileiro, Henrique Meirelles.

Tal como a Coreia do Sul, o Brasil fazia parte dos países observadores do Clube de Paris, uma condição indispensável para a adesão. A adesão do Brasil poderá agora facilitar a integração de três países que ainda permanecem com observadores: China, Índia e África do Sul.

Como membro pleno do Clube de Paris, o Brasil aumentará sua influência na agenda financeira internacional e nas futuras renegociações de dívidas soberanas.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Cabo Verde corrige alteração ao Código Penal

Cabo Verde corrige alteração ao Código Penal

O Presidente cabo-verdiano, José Maria Neves, promulgou, após o veto inicial, uma alteração ao Código Penal proposta pelo Governo. O…
ONU estima que PIB de Moçambique cresça 5%

ONU estima que PIB de Moçambique cresça 5%

A Organização das Nações Unidas (ONU) estima que o Produto Interno Bruto (PIB) de Moçambique cresça 5% este ano. A…
Paulo Pisco volta a ser presidente da subcomissão das diásporas

Paulo Pisco volta a ser presidente da subcomissão das diásporas

O deputado Paulo Pisco, eleito pelo círculo da Europa para atuar na Assembleia da República de Portugal, foi reeleito, por…
Guiné Equatorial mantém 51.º lugar do IIAG

Guiné Equatorial mantém 51.º lugar do IIAG

A Guiné Equatorial manteve o 51.º lugar no Índice Ibrahim de Governação Africana (IIAG) 2022, de acordo com um relatório…