Brasil

Brasil e UE discutem ações de combate ao Covid-19

Projetos relacionados ao combate à pandemia de Covid-19 estão a unir pesquisadores do Brasil e da União Europeia (UE). Em pauta estão estudos nas áreas de diagnóstico, tratamento e desenvolvimento de vacinas contra a doença. Essa iniciativa acontece como resultado do Diálogo Setorial Brasil-União Europeia (UE) sob o tema “Fomentando Atividades de Geminação em Ciência, Tecnologia e Inovação”. O programa de cooperação entre Brasil e UE selecionou 12 projetos de pesquisa, seis deles relacionados diretamente ao combate à Covid-19 e outros seis em setores estratégicos como agricultura, meio ambiente e energia.

“É tempo de aprendizado, de trabalho conjunto e temos várias possibilidades de cooperação. A ciência e a tecnologia têm um papel importante e de grande valor na luta contra a pandemia”, disse o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) do Brasil, Marcos Pontes, que destacou que “cientistas de todos os países estão empenhados em encontrar soluções para combater o vírus causador da Covid-19 e os seus impactos”.

Segundo o secretário de Políticas para Formação e Ações Estratégicas do MCTIC, Marcelo Morales, esse ministério está a financiar diversos projetos de pesquisa no enfrentamento do coronavírus.

“O ministério investiu quase meio bilhão de reais em pesquisas para o desenvolvimento de vacinas, ensaios clínicos, testes de diagnóstico, sequenciamento e equipamentos, como respiradores mecânicos. Podemos cooperar com a União Europeia em vários desses projetos”, realçou Morales.

 

Apoio alargado do governo do Brasil

O projeto “Fomentando Atividades de Geminação em Ciência, Tecnologia e Inovação” é coordenado pelo MCTIC e pela Direção-Geral de Pesquisa e Inovação (DG RTD) da Comissão Europeia. Todo esse trabalho conta, no Brasil, com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Financiadora de Inovação e Pesquisa (Finep) e Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap).

O projeto, que começou a ser implementado em 2019, no âmbito dos Diálogos Setoriais Brasil-União Europeia, foi desenvolvido por Mário Neto Borges, pelo lado brasileiro, e por Gianluca Rossi, pelo lado europeu, e está a ser coordenado pela Diretora de Infraestrutura de Pesquisa e Políticas de Formação e Educação em Ciência do MCTIC, Maria Zaira Turchi.

O momento do anúncio dessa parceria entre Brasil e UE, que aconteceu por videoconferência no último dia 22, contou com a participação de diversas autoridades do setor de ciência e tecnologia do Brasil e da União Europeia, entre eles o embaixador da União Europeia no Brasil, Ignacio Ybáñez, a diretora para Cooperação Internacional do DG RTD,  Maria Cristina Russo, o representante do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, embaixador Achilles, o presidente do CNPq, Evaldo Vilela, o presidente da Finep, Waldemar Barroso, e o presidente do Confap, Fábio Guedes.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo