Brasil: Empresários brasileiros procuram oportunidades de investimento em Portugal

De acordo com o estudo Trajetórias FDC de Internacionalização das Empresas Brasileiras, revelado ainda em 2019 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o Brasil possui cerca de cinco milhões de empresas. Destas, apenas 25 mil exportam produtos (representando 0,5% do total), e apenas 500 possuem subsidiárias ou franquias no exterior (representando 0,01%). O número pode ser considerado baixo frente as oportunidades de crescimento que as empresas brasileiras podem ter no cenário internacional.

Para fomentar os novos negócios e o desenvolvimento da economia, Portugal prevê abrir ainda em julho a última chamada do “Portugal 2020” com investimento de 400 milhões de euros. “No programa existem várias linhas de incentivos tanto para iniciar um projeto como para fazer a expansão global da empresa, ou seja, internacionalizá-la através de Portugal”, explicou Cristinna Araújo, CEO da My Euro Business, viabilizadora do crescimento internacional para empreendedores brasileiros. Neste contexto, empresários do Brasil buscam orientações para internacionalizar empresas no mercado europeu.

São selecionados projetos em todas as atividades económicas, com destaque especial para aqueles que desejam produtos e serviços transacionáveis, orientados para o mercado internacional. O programa é um acordo de parceria assinado por Portugal e pela Comissão Europeia, alinhados com o Crescimento Inteligente, Sustentável e Inclusivo definido pela estratégia Europa 2020.

Entre as linhas que são apoiadas, estão a internacionalização, setor da indústria, inovação produtiva, empreendedorismo qualificado, setor do turismo, energia e alterações climáticas e economia do mar.
“Nunca vimos uma oportunidade com investimento tão alto do Governo português. Vemos uma expectativa de aprovação de muitos projetos, e que não acreditamos que terá outra vez, por ser a última chamada do programa Portugal 2020”, alerta Cristinna.

O índice de aprovação das propostas é em média de 80%, com foco em empresas de diferentes segmentos, especialmente produtos e serviços nativos de outros países, como o Brasil. Cristinna diz entender “que as empresas brasileiras, ao pensar em internacionalizar, não consideravam iniciar pela Europa, pelo simples facto de não conhecerem os subsídios que Portugal disponibiliza para internacionalizarem.”

“Mas o cenário está mudando, e os negócios europeus estão crescendo”, afirmou esta responsável, que acrescentou que “a UE tem uma população de mais de 500 milhões – ou seja, 500 milhões de clientes potenciais com alta renda per capita. E os consumidores europeus têm uma mentalidade internacional, buscando os melhores produtos do mundo. Mesmo durante o pior da recessão da zona do euro, as importações estavam aumentando”.

2 Comments

  1. A. DE CASTRO

    Boa Tarde!

    Estimados Senhores, no seguimento deste email, será possível facilitar-me o contacto da CEO da My Euro Bussiness |Cristina Arújo.

    Obrigado! Fico a aguardar pelo vosso feeback!
    Atentamente,
    A. Castro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Brasil: FMI anuncia previsão negativa para o crescimento do Brasil em 2022, apenas 0,3%

Brasil: FMI anuncia previsão negativa para o crescimento do Brasil em 2022, apenas 0,3%

O Fundo Monetário Internacional (FMI) derrubou as suas previsões de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2022…
Moçambique: PM observa impacto da depressão tropical Ana em Nampula

Moçambique: PM observa impacto da depressão tropical Ana em Nampula

O primeiro-ministro moçambicano, Carlos Agostinho do Rosário, inicia nesta quarta-feira, 26 de janeiro, uma visita de trabalho à província de…
Cabo Verde: PAICV diz que falta de voos domésticas e custos elevados são grandes obstáculos ao desenvolvimento económico

Cabo Verde: PAICV diz que falta de voos domésticas e custos elevados são grandes obstáculos ao desenvolvimento económico

A declaração foi feita pelo porta-voz da Bancada parlamentar do PAICV, Walter Évora, durante a conferência de imprensa de balanço…
Angola: Governo aprova plano de endividamento para 2022

Angola: Governo aprova plano de endividamento para 2022

A Comissão Económica do Conselho de Ministros de Angola aprovou nesta terça-feira, 25 de janeiro, o Plano Anual de Endividamento…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin