Brasil: Governo cria programa que estimula mineração na Amazônia Legal, apesar das reações de ambientalistas e indígenas

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro publicou, no Diário Oficial da União de segunda-feira (14), o Decreto 10.966, que institui o Programa de Apoio ao Desenvolvimento da Mineração Artesanal e em Pequena Escala (Pró-Mapa). O objetivo é incentivar o garimpo e orientar as ações na região da Amazônia Legal.

Embora a redação dê ênfase à mineração de baixo impacto, com foco no desenvolvimento sustentável das comunidades que vivem na região, o decreto preocupa ambientalistas, que temem pela expansão do garimpo na Floresta Amazônica, colocando em risco os povos indígenas. Eles lembram que, mesmo antes de assumir a Presidência, Jair Bolsonaro já defendia a ação dos garimpeiros, inclusive em áreas indígenas e de preservação ambiental.

Ainda de acordo com o documento, o Pró-Mape deve promover a sinergia entre as partes interessadas e envolvidas na cadeia produtiva do bem mineral.

Nesse sentido, o decreto também cria a Comissão Interministerial para o Desenvolvimento da Mineração Artesanal e em Pequena Escala (Comape), que tem entre suas atribuições “orientar e coordenar ações” para fortalecer as atividades ligadas ao programa.

O grupo será composto por integrantes dos ministérios da Casa Civil, da Cidadania, da Justiça, do Meio Ambiente e da Saúde e coordenado pelo Ministério de Minas e Energia. Segundo o decreto, “a Amazônia Legal será a região prioritária para o desenvolvimento dos trabalhos da Comape.

Em nota, a Secretaria-Geral da Presidência disse que o programa “inaugura uma nova perspectiva de políticas públicas sobre a atividade garimpeira no Brasil”. O comunicado também destaca “que a mineração artesanal e em pequena escala é fonte de riqueza e renda para uma população de centenas de milhares de pessoas, logo é fundamental que as ações de governo reconheçam as condições em que vive o pequeno minerador, o alcance de sua atividade e as necessidades primárias da sociedade circundante”, finaliza.

Carlos Vasconcelos – Correspondente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou ao Exército ucraniano para que retirasse o apoio ao Governo ucraniano, o que significa…
Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, confirmou os relatos de ataques e bombardeamentos a creches e orfanatos…
Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

As autoridades russas detiveram mais de 1.800 manifestantes que se opuseram à invasão à Ucrânia.  “Nós estamos preocupados com as…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin