Brasil | Igor Lopes

Brasil: Governo de São Paulo decide prorrogar fase emergencial de combate à pandemia

As autoridades governamentais de São Paulo confirmaram a prorrogação da fase emergencial de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus até o dia 11 de abril. As medidas mais rígidas de restrição de circulação e atividades estão em vigor nas 645 cidades do Estado para “travar o aumento de casos e mortes por Covid-19 e reduzir a sobrecarga em hospitais públicos e particulares”.

“Em virtude dos números da pandemia e da insistência do crescimento da pandemia, apesar de todas as medidas adotadas, o Governo de São Paulo prorroga até o dia 11 de abril a fase emergencial”, afirmou o vice-governador e secretário de Governo, Rodrigo Garcia.

Recorde-se que, desde o dia 15 de março, a fase emergencial determina “recolher obrigatório nos 645 municípios todos os dias, entre 20h e 5h, além de impedir o acesso a parques e praias”. Além disso, qualquer tipo de aglomeração está proibido. O uso de máscaras deve ser intensificado em qualquer ambiente interno ou externo de acesso público.

As escolas da rede estadual só estão abertas para distribuição de alimentos a alunos carenciados e entrega de materiais mediante agendamento prévio. Para reforçar o distanciamento social e reduzir a circulação urbana, a fase emergencial aumenta as restrições de algumas atividades comerciais autorizadas na etapa vermelha do Plano São Paulo.

O que não está permitido?

Segundo apurámos, estão proibidas as retiradas presenciais de produtos em restaurantes e lanchonetes, o atendimento presencial em lojas de material de construção, as celebrações religiosas coletivas e atividades desportivas em grupo. Lojas e restaurantes só podem fazer entregas a clientes dentro de veículos (drive thru), entre 5h e 20h, ou por entrega em sistema delivery por telefone ou aplicação. Não há restrição ao funcionamento de supermercados. Mercearias e padarias podem funcionar seguindo as regras de mercados, com proibição de consumo no local. O teletrabalho é obrigatório para todas as atividades administrativas não essenciais do serviço público e também na iniciativa privada. Todas as medidas, segundo o governo, visam reduzir a circulação de ao menos quatro milhões de pessoas por meio das restrições adicionais.

A fiscalização contra ajuntamentos e eventos clandestinos continua com ações intensificadas na fase emergencial. O Governo do Estado atua em conjunto com as Prefeituras para instalação de barreiras sanitárias em acessos a cidades turísticas, operações stop contra eventos ilegais e fiscalização de protocolos sanitários nas atividades liberadas.

Idosos de 68 anos vacinados já em abril

Rodrigo Garcia anunciou ainda o início da vacinação para 340 mil idosos com 68 anos a partir de 5 de abril. Com este novo grupo, São Paulo alcança a marca de seis milhões de pessoas com imunização garantida em todo o Estado.

“Começou a vacinação em todo o Estado da população de 69, 70 e 71 anos de idade. São praticamente 910 mil pessoas que estão agora incluídas no programa estadual de imunização e, a partir do dia 5 de abril, mais 350 mil pessoas na faixa etária de 68 anos”, destacou Garcia.

Também em 5 de abril poderão receber doses 185 mil profissionais que integram o público das forças de segurança que atuam no Estado. Na semana seguinte, o cronograma passa a incluir 350 mil profissionais da educação maiores de 47 anos, a partir de 12 de abril.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo