Brasil: Governo recua e anuncia que crianças deverão ser vacinadas em breve

O Ministério da Saúde do Brasil divulgou ontem à tarde as regras para a vacinação de crianças de 5 a 11 anos. A pasta recuou e abriu mão da exigência de receita médica para imunização do grupo, como queria o presidente Jair Bolsonaro.

Em coletiva, o ministro Marcelo Queiroga afirmou que a segurança e a eficácia da vacina já foram atestadas por agências internacionais. O imunizante que será usado no público infantil será da Pfizer, que é aplicado em dose menor.

“Isso foi testado através de ensaios clínicos e já logrou aprovação em agências sanitárias respeitáveis, a exemplo do FDA [agência reguladora dos Estados Unidos], da Agência Europeia de Medicamentos, e agora teve o aval da Anvisa. Portanto, a Anvisa atestou a segurança regulatória”, destacou Queiroga.

De acordo com o governo, a vacinação começará em ordem decrescente de idade e priorizará aqueles que possuem deficiência ou comorbidade.

Também não será necessária a autorização dos pais ou responsáveis, caso a criança esteja acompanhada por um desses na hora da vacina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou ao Exército ucraniano para que retirasse o apoio ao Governo ucraniano, o que significa…
Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, confirmou os relatos de ataques e bombardeamentos a creches e orfanatos…
Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

As autoridades russas detiveram mais de 1.800 manifestantes que se opuseram à invasão à Ucrânia.  “Nós estamos preocupados com as…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin