Brasil

Brasil: PT promete contestar nova condenação de Lula

O Partido dos Trabalhadores (PT) do Brasil está a organizar atos um pouco por todo o País “em defesa da liberdade de Lula”, em resposta à nova condenação do ex-presidente, anunciada ontem (06/02) pela juíza Gabriela Hardt, no caso da quinta de Atibaia, que teria sido alvo de reformas e melhorias com dinheiro proveniente de propinas obtidas de empreiteiras. Lula foi condenado a mais 12 anos e 11 meses de prisão, pela 13ª. Justiça Federal de Curitiba, facto a que o seu partido chama de “um processo sem provas e com uma sentença tão controversa quanto a que o prendeu seis meses antes das eleições presidenciais”.

Segundo membros do Partido dos Trabalhadores, o novo processo que condenou o ex-presidente está “repleto de erros”, já que a “sentença da juíza substituta Gabriela Hardt, que ocupa temporariamente o lugar do agora ex-juiz e ministro de Bolsonaro, Sérgio Moro, é mais um episódio da trama de perseguição judicial que tem como fim inviabilizar a liderança política de Lula”. Diante desse cenário, lideranças do partido estão a anunciar “grandes atos em defesa da liberdade de Lula”, em algumas cidades brasileiras, como Porto Alegre, São Paulo, Curitiba, Florianópolis, Cuiabá, Belo Horizonte e Palmas.

Os advogados de defesa do ex-presidente afirmaram nesta quinta-feira, dia 7, que irão recorrer da decisão judicial, “que atenta aos mais basilares parâmetros jurídicos e reforça o uso perverso das leis e dos procedimentos jurídicos para fins de perseguição política”.

“A sentença segue a mesma linha da sentença proferida pelo ex-juiz Sérgio Moro, que condenou Lula sem ele ter praticado qualquer ato de ofício vinculado ao recebimento de vantagens indevidas, vale dizer, sem ter praticado o crime de corrupção que lhe foi imputado. Uma vez mais a Justiça Federal de Curitiba atribuiu responsabilidade criminal ao ex-presidente tendo por base uma acusação que envolve um imóvel do qual ele não é o proprietário, um caixa geral e outras narrativas acusatórias referenciadas apenas por delatores generosamente beneficiados”, acusa o corpo jurídico de Lula.

 

Apoio da esquerda

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) adiantou que considera a decisão judicial “injusta e sem provas” e garantiu adesão às manifestações previstas em defesa do ex-presidente.

Luiz Inácio Lula da Silva está preso na sede da Polícia Federal, em Curitiba, Sul do Brasil, desde o dia 7 de abril de 2018, após se entregar às autoridades. O ex-presidente foi conduzido, pelos policiais federais, do Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, ao aeroporto de Congonhas, na capital paulista. Lula seguiu para Curitiba, local onde estão a ser investigados os crimes inseridos na operação Lava-Jacto para cumprir pena de 12 anos e um mês de reclusão por corrupção e lavagem de dinheiro no processo do tríplex do Guarujá.

 

PT “em festa”

O Partido dos Trabalhadores vai realizar neste sábado, dia 9, em São Paulo, uma atividade para celebrar os 39 anos de fundação do partido. O evento vai ter início a partir das 14 horas e irá contar com atividades culturais, stands com alimentação, bebidas, artesanatos e ato político previsto para as 18 horas.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo