Brasil: Senado vai votar privatização dos Correios com resistência de senadores

A Comissão de Assuntos Económicos (CAE) do Senado retoma, nesta terça-feira (9), a análise do Projeto de Lei 591/2021 que trata da privatização dos Correios. O projeto de lei já foi aprovado pela Câmara dos Deputados e espera votação pelos senadores.

A proposta, no entanto, enfrenta resistência de alguns senadores. Na última reunião da comissão, a 26 de outubro, a análise foi adiada após pedido de vista coletiva do texto. O senador Marcio Bittar (MDB-AC) manteve o relatório aprovado na Câmara.

Os senadores afirmam que a votação está indefinida. Hoje, a decisão depende de duas bancadas: MDB e PSD, que juntas, somam 26 parlamentares.

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), afirmou que a base governista segue confiante na aprovação do projeto. “A votação será muito apertada, mas estou confiante na aprovação”, disse.

O senador Eduardo Braga (AM), líder do MDB, também é contra o projeto. Braga alega que o projeto de privatização poderá desencadear a exclusão de serviços postais de comunidades e municípios afastados.

“A atividade postal é um serviço público essencial. Cumpre ao Estado assegurar a universalização de sua oferta a valores módicos, de forma contínua e com um nível mínimo de qualidade. O grande risco da privatização é impedir que moradores de comunidades isoladas e de outros pequenos municípios, que não trariam retorno econômico a empresas privadas, tenham acesso a esse serviço”, disse o senador.

Se aprovado, o projeto permitirá a desestatização e quebra de exclusividade dos Correios nos serviços postais. O texto também impõe normas para um plano de demissão voluntária dos funcionários da estatal com o prazo de 180 dias.

Carlos Vasconcelos – Correspondente

One Comment

  1. Johnny Santiago Cabral

    Não a privatização dos Correios, por ser empresa pública rentável e essencial, foi fundamental dos pequenos e grandes negócios durante a pandemia da covid 19

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin