Brasil | Cultura | Portugal

Câmara Portuguesa de Minas Gerais discute futebol luso-brasileiro

O futebol foi o tema escolhido pela Câmara Portuguesa de Minas Gerais para dar mais um passo na aproximação entre Brasil e Portugal.

No dia 1 de julho, foi exibido ao vivo e em direto no canal FutClass Academia do Futebol, no YouTube, o programa “Resenha com FutClass”, conduzido pelo apresentador Caio Caldeira, com a participação dos treinadores Carlos Carvalhal (ex-Rio Ave e atual SC Braga, de Portugal), Enderson Moreira (Cruzeiro Esporte Clube) e Mano Menezes (ex-treinador da Seleção Brasileira).

Em pauta estiveram pontos como a preparação das equipas, escolhas táticas, tempo de trabalho e competições.

Segundo Carlos Alberto Lopes, presidente da Câmara Portuguesa de Minas Gerais, “o evento foi de crucial importância para estabelecer laços entre o futebol brasileiro e o futebol português, já que o futebol, conhecido como desporto de multidões, é património cultural expressivo para esses dois povos”.

Carlos Lopes realçou também que a entidade à qual preside auxilia na aproximação entre Brasil e Portugal em vários níveis e setores, incluindo o desporto.

“A Câmara é parte ativa na promoção de relações entre portugueses e brasileiros. Neste caso particular, através do diálogo e partilha de conhecimento, com ênfase nas diferentes metodologias que são aplicadas cá e lá. Sem procurar o que está certo ou o que está errado, mas apenas trazendo para o discurso a troca de ideias, visando ao aprendizado e crescimento de ambas as partes. O fomento do futebol é o fomento da educação e é nisso que acreditamos. Para investir neste tema, a Câmara Portuguesa de Minas Gerais convidou Bruno Miguel Mendes, madeirense, jornalista de formação e radicado em Belo Horizonte. Ligado ao desporto desde longa data, foi estagiário no canal SPORTV e trabalhou no Marítimo”, comentou o responsável pela Câmara Portuguesa.

Este responsável mencionou ainda que o futebol e toda a ciência envolvida neste desporto podem ajudar a unir os dois países numa perspetiva empresarial. “O futebol é uma indústria de alta relevância económica do lazer e do entretenimento. O Brasil é o maior vencedor da modalidade, enquanto Portugal hoje é um dos maiores expoentes de conteúdo académico. A junção destes dois fatores é de grande valia. Um tem muito a aprender com o outro e evoluir a indústria do futebol em todos os aspetos, oferecendo oportunidade de capacitação para brasileiros e portugueses, sejam profissionais já inseridos no mercado, sejam estudantes e/ou adeptos em geral”, considerou Carlos Lopes.

 

Treinadores avaliaram cenários

 

Durante o programa, Carlos Carvalhal, agora treinador do SC Braga, destacou que não existe um ritmo único para se preparar uma equipa. “Há inúmeras fórmulas. Sou partidário de uma que, para mim, é a que tem maior especificidade e está mais ligada ao jogo”, disse Carvalhal, que acrescentou que a “periodização tática explica a forma de tentar preparar uma equipa através do jogo”.

Mano Menezes, ex-treinador da Seleção Brasileira e com passagens pelos principais clubes da elite do Brasil, reforçou que o objetivo é sempre vencer bem.

“Existem várias maneiras de, metodologicamente, dirigir um trabalho de alta performance. Propriamente em Portugal as pessoas discutem bastante sobre periodização tática”, lembrou Mano Menezes, que falou sobre a impossibilidade de treinar sem a noção do que vai ser cada jogo.

“Cada vez temos mais jogos e, se não temos uma ideia clara, vamos treinar e perder oportunidade de ter um trabalho positivo. Assim, vamos desgastar os atletas mais do que qualquer outra coisa”, concluiu Mano Menezes, apontando que, hoje em dia, instruir bem significa ter uma relação muito estreita do que se faz no dia a dia com o que se quer no jogo.

Ainda sobre a forma de preparar bem os atletas, Enderson Moreira, actual comandante do Cruzeiro, explicou que o futebol permite várias metodologias e adaptações.

“Temos convivido muito com a visão sistémica, armando a equipa de forma mais global, dando todas as ferramentas para o desenvolvimento do atleta nos pequenos, médios e grandes jogos”, sublinhou Enderson Moreira, que explicou a importância e o desafio de fazer a equipa compreender a forma de trabalho do treinador.

“Uma questão que é extremamente importante é conseguir traduzir as ideias e ter uma linguagem que o atleta entenda”, finalizou Enderson Moreira.

 

Ígor Lopes

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo