Coronavírus inibe atividades de entidade portuguesa recém-criada em Brasília

A comunidade portuguesa e lusodescendente em Brasília, capital do Brasil, conta com uma nova entidade de promoção da cultura lusitana no País. Trata-se da Associação Amigos da Praça Portugal em Brasília (APPB), que conta, atualmente, com 16 sócios fundadores e ainda não tem uma estrutura física.

Para conhecer a forma como a APPB pretende divulgar Portugal no Brasil, conversamos com João Manuel Ribeiro Coelho, presidente dessa Associação, que falou sobre como a pandemia está a “atrasar” o cronograma inicial de atividades da entidade. Este responsável foi eleito no final de fevereiro deste ano para o cargo.

por Ígor Lopes

 

Qual é o papel da Associação e quais são os seus objetivos?

Os objetivos são revitalizar, dinamizar e humanizar a Praça Portugal em Brasília, localizada nos Setor de Embaixadas Sul, ao lado da Embaixada de Portugal em Brasília.

Como a Associação lida com a comunidade portuguesa em Brasília?

A Associação, embora constituída, ainda está embrionária. Era para ter iniciado atividades junto com as comemorações dos 60 anos de Brasília, no dia 22 de abril deste ano, mas a pandemia do Covid-19 frustrou o projeto.

Que eventos e atividades promovem?

Ainda não promovemos nenhuma atividade. Esperamos fazê-lo quando voltarmos à normalidade. Realizaremos feiras, eventos, confraternizações, comemorações oficiais.

Mantêm alguma ligação com as autoridades locais e com as autoridades portuguesas na cidade?

Temos excelente relacionamento como o embaixador Jorge Cabral e com a maioria dos membros da Embaixada de Portugal.

Como vêem este momento de pandemia?

Estamos todos em distanciamento social, cumprindo as normas e protocolos de segurança, ansiosos para confraternizar quando tudo voltar à normalidade.

Como a pandemia afetou o cotidiano local?

O distanciamento social impede qualquer tipo de confraternização, a não ser à distância. A APPB acabou por suspender todas as atividades e projetos.

One Comment

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Angola: Governo quer retirar 25 empresas do programa de privatização

Angola: Governo quer retirar 25 empresas do programa de privatização

O Governo angolano prevê a retirada de 25 empresas e ativos do programa de privatização, por razões diversas.  A informação…
Países da CPLP diminuíram mortalidade infantil nos últimos 30 anos

Países da CPLP diminuíram mortalidade infantil nos últimos 30 anos

Todos os membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) diminuíram a mortalidade infantil nos últimos 30 anos, segundo a…
Brasil: como o mundo virtual está a mobilizar divergências políticas no país

Brasil: como o mundo virtual está a mobilizar divergências políticas no país

As redes sociais têm sido o ambiente preferido dos apoiantes de Jair Bolsonaro, ex-presidente do Brasil, para se mobilizarem. No…
STP: Assalto ao Quartel das Forças Armadas

STP: Assalto ao Quartel das Forças Armadas

Para os santomenses uma das prioridades é conhecer rapidamente o desfecho da investigação relacionada com os acontecimentos de 25 de…