Brasil

Lista extensa de autoridades portuguesas estiveram no Rio de Janeiro para celebrar os 500 anos da primeira volta ao mundo

(c) e-Global

Membros do governo de Portugal estiveram no Rio de Janeiro, entre os dias 10 e 15 deste mês, para celebrar os 500 anos da circum-navegação, feito conquistado pelo português Fernão de Magalhães. O ponto alto do encontro foi a presença do navio-escola “Sagres”, da marinha portuguesa, que ficou atracado ao cais sete do porto da cidade maravilhosa.

Uma lista extensa de atividades, de cunho cultural, social e comercial, e de autoridades marcou a iniciativa. A bordo do “Sagres”, que funcionou com uma espécie de “embaixada portuguesa flutuante”, aconteceram encontros, jantares, apresentações e uma ampla divulgação de cidades e regiões portuguesas.

Durante a visita ao Rio, que se destacou por ser o seu primeiro deslocamento oficial ao Brasil, a secretária de Estado das Comunidades Portuguesas, Berta Nunes, realçou a força da diáspora lusa nesse país sul-americano.

“Fiquei com as melhores impressões da comunidade portuguesa no Brasil, tenho que confessar. Não tenho palavras para dizer tudo o que tenho aqui assistido e a grandiosidade do esforço do trabalho conjunto, da solidariedade, da nobreza e de toda a coragem que esta comunidade tem mostrado e demonstrado, pelo menos aos meus olhos. Acho que é uma comunidade que merece de tudo o melhor e, certamente, também merece o orgulho de ser português e que o governo português esteja com esta comunidade, assim como com outras, de uma forma muito próxima e valorizando tudo o que tem sido feito e tudo que esta comunidade conseguiu ao longo destes anos”, afirmou esta responsável.

Luís Faro Ramos, presidente do Instituto Camões, destacou que o evento contou com o apoio da entidade à qual preside.

“O Instituto apoia muitas iniciativas por esse mundo fora, desde 2019, e vai apoiar até 2022. Apoia iniciativas no âmbito do seu programa de atividades culturais, que aprovamos a cada ano e também está a apoiar iniciativas muito concretas, que tem a ver com a passagem do navio-escola “Sagres” pela rota por onde andou Fernão de Magalhães, há 500 anos. A passagem do “Sagres” pelas cidades Magalhânicas é apoiada por nós e proposta pela nossa rede diplomática e consular”, confirmou Ramos.

De acordo com Alexandre Mendes, presidente da Associação de Portugueses do Espírito Santo (APES), que se deslocou ao Rio para um evento promovido dentro do “Sagres”, essas celebrações merecem o destaque e a atenção das autoridades e da comunidade portuguesa no Brasil.

“Foi imensa a alegria de pisar o Navio Sagres por tudo o que ele representa e o tanto que simboliza a nossa história, tradição e capacidade de conquista. Foi uma mistura de sentimento e emoção, imaginar os meus antepassados e toda a sua glória. Como presidente da APES, felicito a todos os envolvidos por colocarem o projeto em marcha e em especial um forte abraço de agradecimento ao embaixador António Martins da Cruz pela lembrança e convite à minha pessoa para este evento de tamanha importância a todas as comunidades portuguesas presentes no Brasil”, sinalizou Mendes.

Também a participar nas comemorações, o secretário estadual de Turismo do Rio de Janeiro, Otávio Leite, que mantém ligações afetivas a Portugal, explicou que a presença do “Sagres” na Baía de Guanabara dignificou o evento.

“A presença do “Sagres” no Rio de Janeiro foi muito interessante. Ver esse equipamento da escola da marinha portuguesa aportar no Rio, se abrir à sociedade local para visitação, é algo excelente. Fico feliz em poder participar num belo encontro. Afinal de contas, navegar é preciso!”, frisou Leite, que aproveitou para sublinhar que, este tipo de iniciativa, deve ser enxergada com interesse pela área do turismo no Brasil.

“Portugal é referência no campo do turismo. Queremos aprender muito com a questão da organização que Portugal oferece nesse meio. Essa é a verdade. Mas a integração comercial, essa relação recíproca, é ampla, em vários aspetos. Acho que cada vez mais os empresários brasileiros devem enxergar Portugal como uma grande oportunidade de investimentos, e vice-versa. Tudo isso torna a integração entre os dois países mais forte”, comentou Otávio Leite.

 

Cultura sobre os palcos

Um dos pontos mais marcantes das celebrações pelos 500 anos da circum-navegação no Rio aconteceu por meio da dramaturgia. No dia 11, à noite, a Casa do Minho do Rio de Janeiro recebeu o espetáculo teatral “500 anos da primeira volta ao mundo: a grande transformação”, encenado pelo ator português Tony Correia, conhecido pelas suas atuações nas telenovelas brasileiras. O certame, organizado pelo Consulado-Geral de Portugal do Rio de Janeiro e pela Câmara Portuguesa de Comércio e Indústria do Rio, contou com a presença da tripulação do navio-escola “Sagres”, incluindo o comandante António Manuel Maurício Camilo.

Para o ator, que já interpretou dezenas de personagens ao longo da carreira, esse foi um momento bastante especial.

“Senti, além de uma honra, uma grande responsabilidade, pois pude ver como o evento sobre os 500 anos da circum-navegação estava sendo prestigiado, inclusive com a presença do navio-escola “Sagres”. Notei que, com isso, eu realmente estava sendo valorizado, tanto pelas autoridades portuguesas como também pela comunidade portuguesa no Rio, porque havia muita gente na plateia. Senti muita responsabilidade porque estavam presentes embaixadores e a secretária de Estado das Comunidades Portuguesas, que, agora, podem repercutir o trabalho dessa peça de teatro noutros países. Espero que se abram portas noutros locais, mas também no Brasil, para se apresentar esse trabalho. Tenho já procura para outras cidades. Procurei dar o meu melhor em função desses aspetos, valorizando a ocasião e, ao mesmo tempo, vendo nela uma oportunidade de ir mais além”, sublinhou Correia, que, ao final da peça, recebeu, ainda sobre o palco, das mãos de Berta Nunes, a medalha de Mérito das Comunidades Portuguesas – Grau Ouro.

“Foi uma surpresa. Realmente a gente vai lutando, vai se esforçando, às vezes com meios, outras vezes sem condições, mas com a vontade. Então, o reconhecimento foi inesperado, mas dá prazer ver que, apesar de tudo, alguém acaba reparando no que fazemos. Lutei muito para se comemorar esse feito de Magalhães no Brasil. Fiquei emocionado. Sou grato por tudo que aconteceu”, finalizou o ator.

Ainda em relação à peça, a secretária de Estado das Comunidades Portuguesa mostrou-se admirada com a apresentação.

“Vi alguém que sente na veia o sangue português com aquela vontade de navegar, aquela vontade de ir sempre mais longe. A apresentação foi para todos nós uma grande lição de portuguesismo e multiculturalidade”, referiu Berta Nunes.

“Foi um momento bonito, em que as pessoas se emocionaram. Foi muito oportuno, pois estamos a comemorar os 500 anos da circum-navegação. De facto, houve uma performance fantástica de um ator muito reconhecido que teve o cuidado e a iniciativa, que eu acho que é muito de se louvar, de apresentar esse projeto que é uma homenagem a Magalhães e a todos os navegadores. Foi um momento alto da nossa vista ao Rio. E não posso deixar de manifestar a minha grande satisfação por ter assistido a este momento”, reforçou Luís Faro Ramos.

 

Praça e placa para recordar

Também no dia 11, pela manhã, foi inaugurada, debaixo de muita chuva, a “Praça da Circum-navegação” na Via Binário do Porto, no Porto Maravilha, zona portuária do Rio, com a presença do prefeito carioca, Marcelo Crivella, da secretária municipal local de Urbanismo, Fernanda Tejada, da secretária de Estado das Comunidades Portuguesas, Berta Nunes, e de outras autoridades do circuito luso-brasileiro. O objetivo é que o local funcione como memória das comemorações do quinto centenário da primeira circum-navegação.

 

Presenças de renome

A programação dos dias de evento contou com ainda com a presença do embaixador de Portugal no Brasil, Jorge Cabral, do cônsul-geral de Portugal no Rio, Jaime Leitão, do cônsul-adjunto de Portugal no Rio, João de Deus, do presidente do Conselho das Comunidades Portuguesas, Flávio Martins, do presidente do Real Gabinete Português de Leitura, Francisco Gomes da Costa, do presidente da Câmara Portuguesa de Comércio e Indústria do Rio, Manuel Domingues e Pinho, do vice-presidente da Câmara Municipal de Oeiras, Francisco Rocha Gonçalves, do presidente da Associação dos Empresários Turísticos do Douro e Trás-os-Montes, Alberto Tapada, do presidente da Oeiras Valley e ex-ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, António Martins da Cruz, dos responsáveis pela Agência para a Competitividade e Inovação (IAPMEI), dentre outras autoridades, além de presidentes de casas regionais e membros da comunidade luso-brasileira.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo