Cabinda

Cabinda: FLEC/FAC acusa militares angolanos de assassinarem dois civis na aldeia de Lucanga

Arquivo

Durante um ataque das Forças Armadas Angolanas (FAA) contra uma patrulha das Forças Armadas Cabindesas (FAC), braço armado da FLEC, na noite de domingo para segunda-feira 29 de Junho, as tropas angolanas terão abatido dois civis na aldeia de Lucanga no Necuto, junto à fronteira com a República Democrática do Congo (RDC), denunciou a organização independentista através de um comunicado.

No mesmo documento, assinado pelo porta-voz do Estado Maior General das FAC, general António do Rosário Luciano, precisa que uma patrulha das FAC foi alvo de uma emboscada das FAA provocou um intenso fogo de ambas partes, durante “várias horas”, resultando na morte de dois militares angolanos e ferindo um guerrilheiro. Dois civis surpreendidos pelo fogo, terão sido abatidos pelos militares angolanos, precisou fonte na FLEC contactada pelo telefone.

Para o general António do Rosário Luciano, as operações militares de Angola no território de Cabinda dão sinais de “pretenderem destabilizar os dois Congos”. No mesmo comunicado o porta-voz da FLEC-FAC apela ao primeiro-ministro português, António Costa, a “quebrar o silêncio” que “mantém desde a sua tomada de posse” e “tomar uma posição de forma clara e sem ambiguidade face à situação” do conflito entre Angola e Cabinda.

A FLEC-FAC apela igualmente “à classe política portuguesa a pronunciar-se com sinceridade” sobre a questão de Cabinda e “condenar claramente a política repressiva do governo angolano no território de Cabinda”, lê-se no comunicado.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo