Cabinda: FLEC-FAC amnistia todos cabindeses que optaram por abandonar a causa

A resistência cabindesa pretende acolher todos “ex combatentes que integraram as Forças Armadas Angolanas e Polícia, funcionários administrativos ex membros civis de organizações nacionalistas cabindesas”.

A Direcção Política e Militar da FLEC-FAC (Frente de Libertação do Estado de Cabinda – Forças Armadas de Cabinda) anunciou através de um comunicado a aplicação de uma Amnistia que abrange todos que “por variados motivos optaram por abandonar efemeramente a luta pela causa cabindesa, e integrar ou colaborar com instituições, organismos, públicos e privados, em Cabinda, Angola e no estrangeiro, bem como com nas Forças Armadas Angolanas e Polícia”, lê-se no documento.

A FLEC-FAC, através do porta-voz do movimento, Jean Claude Nzita, acrescenta que a “reintegração de todos os abrangidos pela Amnistia poderá ser de forma anónima, se assim desejar o visado” e precisa que “estão igualmente abrangidos pela presente Amnistia todos os cabindas que integraram o MPLA ou estruturas do Governo angolano e desejem integrar ou reintegrar anonimamente a FLEC-FAC”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *



Artigos relacionados

As primeiras memórias podem começar aos dois anos e meio

As primeiras memórias podem começar aos dois anos e meio

Em média, as primeiras memórias que as pessoas podem recordar remontam a quando tinham apenas dois anos e meio de…
Angola: Suspensão da dívida ao estrangeiro poupa USD 300 milhões

Angola: Suspensão da dívida ao estrangeiro poupa USD 300 milhões

A ministra das Finanças de Angola, Vera Daves, informou que o mais recente pedido de suspensão da dívida por parte do país a parceiros…
Marrocos quer impulsionar energias renováveis ​​e hidrogénio verde

Marrocos quer impulsionar energias renováveis ​​e hidrogénio verde

Marrocos anunciou a ambição de aumentar a participação da capacidade total de energia renovável para mais de 52% até 2030.…
Timor-Leste: Nove instituições registadas pela CAC para declarar bens

Timor-Leste: Nove instituições registadas pela CAC para declarar bens

O Comissário-Adjunto da Direção para os Assuntos de Prevenção e Sensibilização da Comissão Anti-Corrupção (CAC), Luís de Oliveira Sampaio, declarou que os cargos…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin