Cabinda: FLEC-FAC convida embaixador dos EUA a visitar as suas bases

A direcção política da Frente de Libertação do Estado de Cabinda (FLEC-FAC) convidou o novo embaixador dos Estados Unidos da América (EUA) em Angola e São Tomé e Príncipe, Tulinabo Salama Mushingi,  a visitar as bases da organização independentista “a fim de ter uma percepção correcta da situação politico militar em Cabinda”, escreve o movimento num comunicado.

“O embaixador Tulinabo Salama Mushingi tem um conhecimento profundo das questões dos países da lusofonia e muito particularmente da questão de Cabinda”, lê-se no mesmo documento que sublinha que a FLEC-FAC “deposita uma enorme confiança e expectativa na acção do embaixador Tulinabo Salama Mushingi na demonstração do empenho dos Estados Unidos da América e do Presidente Joe Biden na viabilização das condições para o estabelecimento da paz definitiva em Cabinda, na denuncia das sucessivas violações dos Direitos Humanos e na defesa do direito à autodeterminação do povo de Cabinda”.

Durante a visita do embaixador dos EUA Tulinabo Salama Mushingi a Cabinda proposta pela FLEC-FAC a organização afirma que “respeitará um cessar-fogo para garantir toda a segurança ao embaixador dos Estados Unidos da América e sua delegação”, refere o mesmo comunicado assinado pelo porta-voz da FLEC-FAC, Jean Claude Nzita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Ucrânia: Presidente assina pedido de adesão à União Europeia

Ucrânia: Presidente assina pedido de adesão à União Europeia

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, assinou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, o pedido formal de adesão à União Europeia…
Ucrânia: Ataque russo em Kharkiv causa 11 mortes

Ucrânia: Ataque russo em Kharkiv causa 11 mortes

O Governo ucraniano afirmou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, que morreram 11 pessoas e centenas ficaram feridas durante um ataque russo…
Angola: Cidadãos angolanos fogem da Ucrânia

Angola: Cidadãos angolanos fogem da Ucrânia

A maioria dos angolanos que viviam em Kharkiv, segunda maior cidade da Ucrânia, decidiu abandonar o local no sábado, 26…
Guerra na Ucrânia causa 422 mil refugiados

Guerra na Ucrânia causa 422 mil refugiados

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) partilhou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, que já são mais…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin