Cabinda

Cabinda: FLEC que ser observador da União Africana com apadrinhamento da Nigéria e Marrocos

Arquivo

A direcção política da Frente de Libertação do Estado de Cabinda (FLEC-FAC) pediu apoio ao presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, e Mohammed VI, Rei de Marrocos, para a “adesão de Cabinda, através da FLEC, como membro observador da União Africana (UA)”.

Através de um comunicado a FLEC-FAC recorda que em 1963 a Organização da Unidade Africana (OUA) “determinara Cabinda como 39º território a descolonizar e Angola o 35º território, sendo hoje este Estado que coloniza Cabinda após o abandono de Portugal em 1975”.

Para a organização independentiza a “admissão de Cabinda como membro observador” da União Africana “será a reparação de um erro e correcção de um esquecimento histórico que permitirá chamar a atenção de todos os Estados africanos para a situação de constante violação dos Direitos Humanos e dos Povos vivida em Cabinda e praticada pelas forças armadas angolanas”, lê-se no mesmo documento.

A direcção política da FLEC afirma que “acredita firmemente” que o presidente nigeriano e o monarca marroquino vão “responder positivamente ao” pedido “dando o exemplo de Estados que protegem a dignidade dos povos e que condenam veemente as práticas repressivas e belicistas de Angola em Cabinda”, refere o comunicado assinado pelo porta-voz do movimento, Jean Claude Nzita.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo