Cabinda

Cabinda: Movimento Independentista organiza vigília pela libertação de oito activistas

O Movimento Independentista de Cabinda (MIC) anunciou que no próximo Sábado, 1 de Fevereiro, vai realizar uma vigília pela “libertação incondicional” de oito “presos políticos” detidos em Dezembro de 2019. Na mesma ocasião o MIC vai exigir a realização de um referendo “pró-independência de Cabinda”. Intencionalmente a data escolhida pelo MIC coincide com o aniversário da assinatura do Tratado de Simulambuco.

Mantendo a posição de nunca solicitar uma autorização para levar a cabo em Cabinda qualquer actividade do Movimento, a direcção do MIC optou por, numa carta dirigida ao chefe de Estado angolano João Lourenço, com cópia ao comando provincial da Polícia Nacional, Governo Provincial, Assembleia Nacional, e aos partidos políticos, “pedir a protecção da polícia para manter a segurança e tranquilidade dos aderentes”, durante a vigília.

O MIC informou também que a vigília iniciará às 17:00 horas de 1 de Fevereiro junto ao antigo Cemitério do Zangoio, conhecido localmente como a Parada dos Fieis. Durante a vigília o Movimento Independentista vai exigir a libertação dos membros e simpatizantes da organização, Filipe Macaia Luemba, Pedro Massiala Conde, Joaquim Bety, Ruben Domingos, Francisco Barros Muanda, Alberto Puna Cibi, Gimi Muanda e Alberto Kibinda detidos a 10 de Dezembro de 2019 quando tentavam participar numa marcha pela realização de um referendo para Independência de Cabinda.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo