Cabo Verde e São Tomé e Príncipe: Acordos de cooperação

Os acordos entre o Governo de Cabo Verde e de São Tomé e Príncipe foram assinados, na Cidade da Praia, na II Comissão Mista, que teve como intuito o reforço do diálogo político-diplomático.

Estes acordos espelham a dinâmica que os dois países dispuseram imprimir na cooperação de acordos bilaterais nos domínios dos negócios estrangeiros, comunidade, educação, turismo, agricultura, novas tecnologias e economia digital.

Segundo o Primeiro-Ministro de São Tomé e Príncipe, Jorge Bom Jesus, “neste período de pós-pandemia que queremos implementar planos de resiliência de retoma económica nada melhor de que juntarmos as nossas forças para podermos minimizar as várias fraquezas sobretudo São Tomé e Príncipe e Cabo Verde”.

Foram rubricados, uma cooperação em matéria de Educação, para aumentar a disponibilização de vagas a estudantes são-tomenses nas instituições de Ensino Superior em Cabo Verde.

“Devemos aumentar, de forma significativa, o número de vagas e de bolsas para a formação profissional para os próximos três anos, 2022-2025, 200 vagas e bolsas para formandos de São Tomé e Príncipe, na convicção de que se trata de um instrumento muito importante de empoderamento dos jovens, capacitando-os para o mercado do trabalho”, disse o Primeiro-Ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, na conferência de imprensa.

Será aumentado a “Linha de Crédito” para micro empreendimentos, de 5 mil contos para 50 mil contos. Já no domínio das Comunidades Residentes e Desenvolvimento Solidário, o projeto da Casa de Cabo Verde em São Tomé e Príncipe, “vamos colocar de pé, um espaço essencialmente para as nossas comunidades”, anunciou Ulisses Correia e Silva.

No que tange ao Turismo, Agricultura e Novas Tecnologias /Economia Digital, foi decidido reforçar as parcerias com oportunidades de investimento em vários subsetores, com a possibilidade da retoma dos voos trânsito, numa cooperação tripartida Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Angola, com voos São Tomé e Príncipe –Luanda- Praia.

Ulisses Correia e Silva, afirma ainda que, “reforçamos o nosso enganjento na sua implementação prática para que os nossos cidadãos possam circular livremente entre os dois países, além de permitir residência facilitada em situações favorável”.

É de aludir que para a implementação dos projetos terá a participação do Luxemburgo na área da educação, assim como o Banco Mundial na cooperação com a economia digital e Angola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MNE avisa que portugueses na Rússia podem ser chamados para a guerra

MNE avisa que portugueses na Rússia podem ser chamados para a guerra

O Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) de Portugal, liderado por João Gomes Cravinho, avisa que os portugueses com dupla nacionalidade…
Angola: MPLA despreza discursos contra o trabalho do Executivo

Angola: MPLA despreza discursos contra o trabalho do Executivo

O Bureau Político do MPLA reafirmou nesta terça-feira, 27 de setembro, que repudia os discursos contraproducentes ao exercício da governação. …
Medalhas de Mérito Turístico 2022

Medalhas de Mérito Turístico 2022

No âmbito da VI Cimeira do Turismo Português, enquadrada nas comemorações do Dia Mundial do Turismo, e subordinada ao tema…
Brasil: Sondagens mostram 24% de transferência de votos para Lula, já na primeira volta

Brasil: Sondagens mostram 24% de transferência de votos para Lula, já na primeira volta

Sondagens internas dos partidos políticos e de institutos de pesquisa mostram tendência ao voto útil (transferência de votos de candidato…