Cabo Verde: Carlos Veiga felicita José Maria Neves

O candidato presidencial Carlos Veiga, apoiado pelo MpD e pela UCID, reconheceu a sua derrota após ter sido divulgada a vitória de José Maria Neves, apoiado pelo PAICV. Recorde-se que as sétimas eleições presidenciais de Cabo Verde ocorreram no domingo, 17 de outubro. 

Na sua declaração à imprensa, sem perguntas dos jornalistas, Veiga afirmou que “o povo falou e a democracia triunfou”. “É um orgulho sentir-me parte do funcionamento da democracia sólida, resistente, consistente que ajudei a criar”, salientou. 

Para o político, “os grandes vencedores das eleições são a liberdade, a democracia e o povo de Cabo Verde”. E, uma vez que considera não haver democracia sem partidos, agradeceu o apoio que teve por parte do MpD e da UCID, na pessoa dos seus presidentes, Ulisses Correia e Silva e António Monteiro, respetivamente, bem coo dos cidadãos independentes e de outras formações políticas. 

“Quero, por isso, apresentar as minhas felicitações a José Maria Neves pela sua eleição a Presidente da República, a quem já telefonei a felicitar pessoalmente. As eleições permitiram que cada candidato advogasse as suas ideias e marcasse a diferença pelo seu estilo e propostas próprias, mas sobretudo pelo seu nível de sentido de estar e de responsabilidade para com a democracia”, partilhou. 

“É um imperativo de todos, quer das gerações que fizeram independência, quer das gerações que conquistaram a democracia e instituíram as liberdades constitucionais, que se unam num pacto nacional em nome de Cabo Verde”, finalizou. 

Primeiro-ministro promete bom ambiente com Neves 

Por sua vez, o primeiro-ministro e líder do MpD, Ulisses Correia e Silva, que participou na campanha eleitoral de Carlos Veiga, garantiu que irá haver uma boa coabitação com o novo chefe de Estado, para bem do país. 

O governante declarou que a eleição de Neves deve ser respeitada. As declarações à imprensa foram feitas após Veiga ter reconhecido a eleição de Neves para novo Presidente da República. 

Correia e Silva realçou a necessidade de “garantir a estabilidade política” de Cabo Verde. “O povo e os eleitores fizeram as suas escolhas”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin