Cabo Verde: Carlos Veiga quer continuar a “servir o país” com “com a experiência e conhecimento adquiridos”

Carlos Veiga, candidato a Presidente da República de Cabo Verde, declara ser, “um cidadão comum, bisavô, avô, pai, marido e Advogado”, nasceu na ilha de São Vicente e cresceu em Santiago, mais concretamente na Cidade da Praia.

Carlos Veiga, conhecido como “Kalu”, candidatou-se a Presidente da República, porque quer “continuar a servir o meu país, como venho fazendo desde os 25 anos, com a experiência e conhecimento adquiridos, num momento particularmente difícil em que a necessidade de estabilidade política é aguda”.

É de referir que Carlos veiga, já foi Magistrado do MP e Judicial, Deputado, Primeiro-Ministro e Embaixador. O objetivo da candidatura é “fazer cumprir e dar vida ativa à Constituição, em benefício dos cidadãos comuns e das famílias” realça Carlos Veiga.

“Representação interna e externa da Republica com elevação e dignidade, ser moderador e garante do regular funcionamento do sistema de governança estabelecido pela Constituição; obter uma magistratura de influência a favor de uma Justiça e uma Administração conformes à Constituição e das políticas económica, sociais e culturais nela expressamente enquadradas” são algumas das diretrizes que Carlos Veiga realça para a sua candidatura.

O político refere também que se concentrará “na luta contra a pobreza, as desigualdades sociais e as assimetrias regionais, na promoção e defesa da Liberdade e da Democracia, na afirmação das esperanças, expectativas e papel essencial da Juventude, de uma sociedade plural, viva e atuante, da cultura e identidade cabo-verdianas e das comunidades emigradas como ativo estratégico da nação e na proximidade com os cidadãos”.

Relativamente aos problemas com os transportes aéreos, Veiga deixa claro que, “a pandemia destruiu o sistema de transportes aéreos em todo o Mundo. Cabo Verde não foi exceção. O Governo já tomou as medidas que devia tomar, a meu ver, bem. E está a programar um regresso da Transportes Aéreos de Cabo Verde, TACV. Daqui a seis meses tem de estar a voar, tem uma nova administração”.

“Cabo Verde não tem ainda o desenvolvimento desejável, mas pode tê-lo num futuro não muito distante” enfatiza o candidato à Presidência da República. É de realçar que Cabo Verde já teve quatro Presidentes da República desde a independência de Portugal em 1975.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Cabo Verde: Correia e Silva quer Economia Digital a valer 25% do PIB

Cabo Verde: Correia e Silva quer Economia Digital a valer 25% do PIB

O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, tem como meta fazer com que a Economia Digital contribua com 25% do Produto Interno Bruto (PIB). Este objetivo…
Grécia quer cooperar com Angola na Segurança Marítima

Grécia quer cooperar com Angola na Segurança Marítima

A Grécia manifestou a Angola o seu desejo de estabelecer cooperação nos domínios da Segurança Marítima, Comércio, Turismo, Indústria, Agricultura e Inovação. Essa…
Moçambique: INGD alerta para risco de inundações e cheias

Moçambique: INGD alerta para risco de inundações e cheias

A presidente do Instituto Nacional de Gestão e Redução do Risco de Desastres (INGD) Luísa Meque, apelou às comunidades que residem nas…
Timor-Leste: Diáspora na Coreia do Sul enviou mais de USD 30 milhões

Timor-Leste: Diáspora na Coreia do Sul enviou mais de USD 30 milhões

Os trabalhadores timorenses na Coreia do Sul já enviaram para Timor-Leste, de 2009 a 2021, cerca de 39 milhões de dólares…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin