Cabo Verde deixa cair uso de máscaras em espaços fechados

O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, anunciou nesta terça-feira, 26 de abril, o fim da obrigatoriedade do uso de máscara em espaços fechados. A decisão foi tomada no âmbito dos “bons resultados produzidos na proteção sanitária” após dois anos de fortes restrições devido à Covid-19. 

No entanto, o uso de máscaras mantém-se nos estabelecimentos e infraestruturas de saúde, públicas e privadas, como hospitais, centros de saúde, farmácias, clínicas e laboratórios, bem como nos centros de dia e lares de idosos, nos estabelecimentos prisionais e nos transportes coletivos de passageiros, terrestres, aéreos e marítimos. 

Segundo o chefe do Governo, o levantamento de restrições deve-se ao sucesso que o arquipélago teve na gestão da pandemia, face a “respostas assertivas, de resiliência e de superação”, enquanto fator de confiança do país. 

Deixa também de ser obrigatória a apresentação do Certificado de Vacinação da Covid-19 ou de resultado negativo de teste para o acesso a atividades culturais, artísticas, recreativas, de lazer, de espetáculos ou eventos de qualquer natureza. 

Correia e Silva realçou, no entanto, que a pandemia persiste com riscos advenientes, razão pela qual considera necessário que todos tomem a terceira dose da vacina contra a Covid-19 para uma maior proteção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Angola corta gastos militares em 66% nos últimos dez anos

Angola corta gastos militares em 66% nos últimos dez anos

O Instituto Internacional de Pesquisa para a Paz de Estocolmo indica que Angola reduziu em 66% os gastos com a…
Ucrânia: Mais de cinco milhões de refugiados causados pela guerra

Ucrânia: Mais de cinco milhões de refugiados causados pela guerra

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) divulgou nesta quarta-feira, 27 de abril, novos dados sobre os…
Cabo Verde: PAICV acusa Governo de desvalorizar classe docente

Cabo Verde: PAICV acusa Governo de desvalorizar classe docente

O deputado Armindo Freitas, do PAICV, considera que a classe docente cabo-verdiana vive “um quadro negro e de angústia”, continuando a…
Angola: Presidente da FNLA validado pelo Tribunal Constitucional

Angola: Presidente da FNLA validado pelo Tribunal Constitucional

O Tribunal Constitucional de Angola validou nesta terça-feira, 26 de abril, o V Congresso Ordinário da FNLA que elegeu Nimi…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin