Cabo Verde

Cabo Verde: Desentendimento entre edil e vice-presidente da JPAI acaba em detenção

© Pxhere

Um desentendimento entre o presidente da Câmara Municipal de Ribeira Grande de Santiago, Manuel de Pina, e o vice-presidente da JPAI, Abdulay Fonseca, culminou com a detenção deste último, por parte da Polícia Nacional (PN) e a mando de Manuel de Pina.

Abdulay Fonseca ameaça agora avançar com uma queixa-crime contra o edil local e o chefe da Esquadra da PN de Achada de Santo António, considerando que foi preso “injustamente”. O próprio afirmou que estava no meio dos adeptos de Ribeira Grande, que, descontentes pelo facto de o autarca ter comparecido apenas na final de um torneio, gritavam que este não era bem-vindo.

“Ausentei do local e, quando voltei, encontrei o presidente acompanhado de dois agentes da polícia. Ele (Manuel de Pina) me deu voz de prisão e me levaram para Esquadra da PN, com alegações que eu estaria a perseguir e faltar ao respeito ao presidente com palavras”, esclareceu, negando as acusações do edil.

Disse também que ficou detido desde as 23:00 de sábado até às 13:00 de domingo, altura em que a sua advogada foi pedir Termo de Identidade e Residência. “Eu não poderia ser detido apenas por causa de uma queixa. Eu não discuti com Manuel de Pina e nem dirigi palavra em nenhum momento”, garantiu, questionando as razões que levaram à detenção.

O dirigente partilhou a opinião de que o presidente da câmara mandou prendê-lo apenas por ser vice-presidente da JPAI em Ribeira Grande Santiago e por estar constantemente a confrontar a edilidade sobre as políticas para a juventude no concelho.

Em reação ao ocorrido, Manuel de Pina declarou que esteve no local a convite da Câmara Municipal da Praia para participar na final de um torneiro. “Logo que cheguei na Gamboa este indivíduo começou a perguntar o que fui lá fazer. Pensando eu que ele estaria a brincar fui para o cumprimentar, mas este se recusou”, ajuntou.

O presidente da Câmara de Ribeira Grande referiu que seguiu o seu caminho e que foi sentar-se, mas que Abdulay Fonseca “continuou a dizer e a instigar mais pessoas a gritar” que Manuel de Pina não tinha nada que estar no local, o que o fez avisar a PN de que estava a ser perseguido por “aquele indivíduo” e que iria dar voz de prisão por “tamanha falta de respeito”.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo