Cabo Verde

Cabo Verde: Ex-primeiro-ministro corta colaboração com MpD

Membros do MpD

O antigo primeiro-ministro de Cabo Verde e ex-presidente do Movimento para a Democracia (MpD), Gualberto do Rosário, declarou a suspensão de qualquer colaboração com instituições, órgãos do MpD e Governo.

Tal foi feito como uma forma de protesto, de acordo com o próprio. Em causa está uma “onda de intolerância política, de violação sistemática dos princípios e valores democráticos, das leis e da Constituição”.

A crítica foi proferida através de uma publicação no Facebook. Gualberto do Rosário reprova o que considera serem “tentativas permanentes de condicionar a opinião de cidadãos e os silenciar usando como instrumento o assassinato de caráter, vindas de dentro do MpD”.

“Face ao silêncio cúmplice dos órgãos do partido, decidi suspender, como forma de protesto, toda a colaboração que de forma espontânea, livre e gratuita, mas expressiva, venho prestando às instituições, em particular ao Governo”, pode ler-se.

O ex-governante diz ser igualmente lamentável que o mau exemplo venha, “por ação e por omissão”, de quem tem o dever moral, político e legal de exercer a pedagogia democrática, incluindo titulares de cargos políticos.

Resposta do MpD às acusações

Em reação a estas acusações, o partido no poder partilhou um comunicado na sua página do Facebook, tendo considerado as mesmas como graves. Como tal, “solicita que o Dr. Gualberto do Rosário indique os nomes dos dirigentes que andam a promover esses factos graves que denuncia”.

Assim será evitado que “de forma indiscriminada atinja uma instituição política que tem Dirigentes nacionais e locais, Deputados no parlamento, Governantes e Autarcas no seu seio”.

O comunicado foi assinado pelo atual primeiro-ministro e líder do MpD, Ulisses Correia e Silva.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo