Cabo Verde: Líder da UCID rejeita candidatura de Edson Ribeiro

O líder da UCID, António Monteiro, afirmou que Edson Ribeiro não pode candidatar-se à presidência do partido. Isto porque “não é militante e não tem o cartão da UCID”, disse o dirigente em conferência de imprensa nesta terça-feira, 04 de janeiro, citado pela “Inforpress”.

As declarações surgiram em reação à notícia da disponibilidade de Ribeiro em candidatar-se à liderança da UCID no XVIII Congresso da formação política. O evento está marcado para março, entre os dias 25 e 27, na cidade do Mindelo.

“Eu não acredito que uma pessoa que não seja militante apregoa aos quatro ventos que é candidato. Nós não estamos numa república de bananas”, criticou.

“Infelizmente, o Edson não tem tempo suficiente da UCID e não tem cartão de militante”, acrescentou.

O presidente da UCID declarou que gostaria que o vice-presidente da organização política, João Santos Luís, se candidatasse. No entanto, frisou, “não avançará apoio a quem quer que seja” antes de analisar as propostas que serão colocadas em cima da mesa.

Edson Ribeiro responde às críticas de António Monteiro

Entretanto, Edson Ribeiro garantiu que é militante da UCID e que tem “todas as condições” para candidatar-se. O político acusou António Monteiro de estar “distraído”.

A resposta ao dirigente da UCID foi dada através de uma nota enviada à “Inforpress”. “Não sei se estamos perante um caso de enorme distração ou um caso de total falta de bom senso e desrespeito pelo partido e por todos aqueles que dele fazem parte”, pode ler-se.

“Depois de ler as declarações do Presidente cessante o que posso dizer é que o partido não é nem deve ser, nunca, um instrumento para servir os nossos próprios interesses. Antes sim, deve ser um instrumento para servir o país e os cabo-verdianos”, realçou.

Ribeiro partilhou que Monteiro esqueceu-se de que recentemente, numa conversa a dois, lhe havia proposto integrar, como vice-presidente, uma possível lista liderada por João Santos Luís caso esse se candidate. 

“Como insisti em avançar com um projeto diferente, deixo de ser militante e já não reúno condições. Para ser vice-presidente sou militante e reúno as condições necessárias para tal, mas para ser presidente a situação é contrária?”, questionou.

“Ninguém da UCID deve fazer dos militantes uma espécie de descartáveis, que apenas servem quando se alinham e quando não se alinham são literalmente descartados. O partido deve ser democrático, esta é a sua essência, e proporcionar a todos os militantes igualdade de condições para uma participação positiva”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Timor-Leste: Diáspora na Coreia do Sul enviou mais de USD 30 milhões

Timor-Leste: Diáspora na Coreia do Sul enviou mais de USD 30 milhões

Os trabalhadores timorenses na Coreia do Sul já enviaram para Timor-Leste, de 2009 a 2021, cerca de 39 milhões de dólares…
Cabo Verde: Plano Nacional de Habitação investe 1.500 ME até 2030

Cabo Verde: Plano Nacional de Habitação investe 1.500 ME até 2030

O Plano Nacional de Habitação de Cabo Verde estima um investimento de 1.500 milhões de euros até 2030. De acordo com a estimativa do referido…
Angola tem autossuficiência em seis produtos alimentares

Angola tem autossuficiência em seis produtos alimentares

O Governo angolano divulgou que o ananás, a banana, a batata-doce, a carne de cabrito, a mandioca e os ovos são os produtos que alcançaram a autossuficiência no país.  Isto…
Moçambique: Época chuvosa condiciona estradas e pontes na zona sul e centro do país

Moçambique: Época chuvosa condiciona estradas e pontes na zona sul e centro do país

A Administração Nacional de Estradas, ANE, IP. lançou dia 12 de janeiro alerta de que distrito de Phafuri, na Provincia…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin