Cabo Verde | Portugal

Cabo Verde: Líder do PAICV quer explicações de Portugal sobre morte de estudante cabo-verdiano

Janira Hopffer Almada

A líder do PAICV, Janira Hopffer Almada, defendeu neste domingo, 05 de janeiro, que devem ser pedidas explicações ao Governo português sobre a “bárbara” morte de um estudante cabo-verdiano, agredido à saída de uma discoteca por um grupo em Bragança, que estava armado “com cintos de ferro e paus”.

A exigência foi feita através da conta oficial da dirigente do maior partido da oposição em Cabo Verde na rede social Facebook, onde a mesma afirmou que nestes momentos é necessário mostrar que “a vida humana não tem preço”.

“Cabo Verde tem embaixada e embaixador em Portugal! Ele já não deveria [ser recebido] pelos ministros da Administração Interna ou da Justiça? Já não deveríamos ter alguém a visitar Bragança e a reunir-se com as autoridades lá, para conhecer o que terá levado a esse ato bárbaro e tentar evitar que situações dessas se repitam?”, escreveu.

“Morreu no dia 31 de Dezembro e até ao momento ninguém foi preso. Foram 15 agressores, de acordo com testemunhas! Será que alguém pagará por tamanha barbaridade?”, pode ainda ler-se.

O embaixador de Cabo Verde em Portugal, Eurico Monteiro, já pediu a clarificação “cabal” das circunstâncias da morte do estudante Luís Rodrigues, que sofreu ferimentos graves no dia 21 de dezembro, tendo acabado por falecer a 31 desse mês no Hospital de Santo António, no Porto.

A Embaixada de Cabo de Verde em Portugal informou no sábado, através de um comunicado, que Eurico Monteiro está a “acompanhar de perto as investigações e os seus desenvolvimentos” para “clarificar-se de forma cabal as circunstâncias da morte e determinar-se as eventuais responsabilidades”.

O Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, também já anunciou que está a acompanhar, através da Embaixada em Lisboa, os contornos da “morte brutal” de Luís Rodrigues.

Entretanto, o ministro cabo-verdiano dos Negócios Estrangeiros e Comunidades, Luís Filipe Tavares, pediu igualmente “celeridade” no “esclarecimento total” pelas autoridades portuguesas das circunstâncias da “trágica” morte do jovem.

O corpo da vítima, natural da ilha do Fogo e que se encontrava em Portugal há menos de dois meses para estudar no Instituto Politécnico de Bragança, vai ser trasladado para Cabo Verde, de acordo com Eurico Monteiro.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo