Jorge Carlos Fonseca com Luís Filipe Tavares

Cabo Verde: Ministro demite-se para eliminar ligação ao Chega

O ministro dos Negócios Estrangeiros e ministro da Defesa de Cabo Verde, Luís Filipe Tavaresdecidiu pedir nesta terça-feira, 12 de janeiro, a demissão dos cargos desempenhados no Governo. 

De acordo com uma nota divulgada pelo Governo, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, aceitou o pedido de demissão e irá apresentar então ao Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, o nome do novo ministro dos Negócios Estrangeiros e ministro da Defesa. 

“O Governo agradece a dedicação e o espírito de missão demonstrado pelo Dr. Luís Filipe Tavares durante o período em que esteve a desempenhar os elevados cargos governativos”, pode ler-se no comunicado. 

Motivo da demissão 

A decisão de Luís Filipe Tavares deveu-se à polémica que envolveu o empresário português Caesar DePaço, nomeado para o cargo de cônsul honorário de Cabo Verde na Flórida, nos Estados Unidos da América, como um dos principais financiadores do partido português Chega, considerado de extrema-direita. 

Isto porque o agora ex-ministro está ligado ao nome do empresário em questão, o que pode prejudicar o Governo de Ulisses Correia e Silva e, consequentemente, o Movimento para a Democracia (MpD), partido no poder no arquipélago. 

Segundo Luís Filipe Tavares, a demissão serve para “poupar” Cabo Verde ao “desgaste” das eventuais repercussões políticas negativas. 

Esta demissão é a primeira consequência política deste caso, mas podem surgir outras, uma vez que, devido à “Grande Reportagem da SIC e outros órgãos da imprensa internacional, outros elementos do MpD estão a ser mencionados nas supostas ligações ao referido cônsul, como Carlos Veiga, ex-Embaixador de Cabo Verde nos EUA e que quer candidatar-se às eleições presidenciais cabo-verdianas. 

A três meses das eleições legislativas, esta polémica é considerada uma bomba no país, com críticos a comentarem o caso como um autêntico escândalo político que envergonha a nação cabo-verdiana e mancha a boa imagem no plano internacional. 

Luís Filipe Tavares garante que está de consciência tranquila 

Entretanto, o ex-ministro garantiu que se encontrava de consciência tranquila e que agiu sempre de “boa fé” no que diz respeito à nomeação do empresário português, César De Paço, para cônsul de Cabo Verde na Flórida. 

No entanto, após ter analisado as informações “adicionais” colocadas a circular publicamente, preferiu poupar o arquipélago à polémica. 

“Na escolha do Dr. DePaço para cônsul honorário em parte da Flórida estive sempre de boa fé, baseando-me no facto de ter sido cônsul honorário de Portugal por vários anos, de ser uma pessoa bem colocada e considerada na sociedade americana e de pretender investir em Cabo Verde tendo os recursos próprios necessários. Baseei-me também nas informações a respeito do mesmo obtidas de fontes independentes e credíveis, esclareceu. 

Em sua defesa disse também que não inquiriu, “nem poderia inquirir, sobre as simpatias políticas do Dr. DePaço no contexto americano e português, guiado pela inabalável crença na liberdade de escolha político-partidária que deve ser reconhecida a todos os cidadãos, sem qualquer distinção.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

África do Sul detém alegado líder de sequestros em Moçambique

África do Sul detém alegado líder de sequestros em Moçambique

A polícia da África do Sul deteve no sábado, 07 de janeiro, um homem que estava a ser procurado por…
Timor-Leste: Presidente quer marcar eleições legislativas para maio

Timor-Leste: Presidente quer marcar eleições legislativas para maio

O Presidente de Timor-Leste, José Ramos-Horta, informou que vai ouvir este mês os partidos com assento parlamentar e outras forças…
Angola: UNITA capacita deputados sobre proposta do OGE

Angola: UNITA capacita deputados sobre proposta do OGE

O grupo parlamentar da UNITA realizou um seminário sobre a proposta do Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2023 no…
Portugal: Costa oferece mais apoio humanitário e militar à Ucrânia

Portugal: Costa oferece mais apoio humanitário e militar à Ucrânia

O primeiro-ministro de Portugal, António Costa, informou nesta segunda-feira, 09 de janeiro, que conversou ao telefone com o Presidente da…