Cabo Verde: MpD critica dependência de parceiros internacionais

O líder parlamentar do MpD, João Gomes, disse em conferência de imprensa que o desenvolvimento de Cabo Verde “não tem sido sustentável” por depender dos parceiros internacionais. A afirmação foi feita nesta terça-feira, 26 de outubro, na cidade da Praia. 

“Nós temos que construir o nosso futuro, ou seja, temos que desenvolver o nosso país, com base nos recursos que temos e não nos dilapidar para as gerações vindouras”, defendeu. 

A conferência foi convocada para ser feito o balanço da jornada parlamentar de preparação para o debate com o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, na sessão plenária desta quarta-feira, dia 27, sobre o desenvolvimento sustentável do arquipélago e a situação da justiça. João Gomes acrescentou que o debate em questão tem que ser feito também a nível da sociedade. 

“Temos que demonstrar que todos têm um papel importante no desenvolvimento do país (…) a governação é essencial, mas também a sociedade civil, e temos que educar-nos para a cidadania ativa e estarmos conscientes daquilo que cada um de nós pode fazer para o desenvolvimento de Cabo Verde”, sublinhou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin