Cabo Verde: Oposição exige mais equipamentos de diagnóstico

Os partidos da oposição em Cabo Verde consideram necessário adquirir mais equipamentos de diagnóstico, como o raio-x com contraste. Defendem igualmente uma maior capacitação aos médicos para assegurar saúde ao povo.

“Saudamos o centro de hemodiálise em São Vicente e o aparelho TAC no Hospital Agostinho Neto. Agora o desafio é conseguir equipamentos para a realização de ressonância magnética e as condições para evoluirmos do nível de raio-x simples, para o raio-x com contraste, para a melhoria de condições de diagnóstico”, defendeu o líder parlamentar do PAICV, Rui Semedo, durante a sua intervenção no Parlamento.

“Aqui o Governo nem sequer pode desculpar-se de uma pesada herança, porque no que diz respeito ao setor da Saúde as heranças eram extremamente boas. Temos consciência de que não se fez tudo. Mas se o atual Governo tivesse preservado os ganhos e continuasse normalmente a caminhada rumo à conquista de novos ganhos, estaríamos muito mais bem servidos”, acrescentou.

Semedo lembrou que quando o Governo era suportado pelo PAICV foram construídos mais hospitais e Centros de Saúde em todas as ilhas.

Também o presidente da UCID, António Monteiro, declarou que o país continuava a ter grandes problemas que deveriam ser analisados pelo Governo. Como exemplo deu os casos dos Centros de Saúde de Ribeirinha e Fonte Inês, que, segundo o próprio, necessitam de atenção, além de ser precisa a manutenção no Hospital Baptista de Sousa, o que “não acontece”.

“Nós, os deputados da UCID, ficamos satisfeitos com a implantação do centro de diálise em São Vicente. É nesse sentido que o Governo deverá trabalhar”, disse, falando igualmente da necessidade de obter “equipamentos de diagnóstico suficientes para darmos garantia de saúde à nossa população” e de uma “maior capacitação dos nossos médicos”.

MpD destaca ganhos no setor da Saúde

Em reação às críticas, o MpD, partido no poder, salientou os ganhos alcançados no setor da Saúde, como o Centro de Hemodiálise em São Vicente e a aquisição do aparelho TAC no Hospital Agostinho Neto.

A dirigente parlamentar da formação política, Joana Rosa, mencionou ainda ser preciso realçar o trabalho do governo durante este período para reduzir os efeitos da Covid-19 na vida dos cabo-verdianos.

“Não podemos pôr em causa as nossas autoridades sanitárias, os nossos médicos, os nossos enfermeiros, os nossos técnicos, os nossos agentes de saúde, investigadores e todos os outros que têm trabalhado com afinco dia e noite, todas as horas, para reduzir os efeitos da Covid-19 na vida das pessoas”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *



Artigos relacionados

Cabo Verde: Créditos cobertos por moratórias caem para 23 milhões de contos

Cabo Verde: Créditos cobertos por moratórias caem para 23 milhões de contos

O valor dos créditos bancários cobertos pelas moratórias lançadas em abril de 2020 em Cabo Verde, com o objetivo de mitigar os…
Angola defende Guiné Equatorial no processo da pena de morte

Angola defende Guiné Equatorial no processo da pena de morte

O ministro das Relações Exteriores de Angola, Téte António, acredita que a Guiné Equatorial está “a fazer a sua parte” para abolir a pena…
Timor-Leste regista 856 empresas indonésias

Timor-Leste regista 856 empresas indonésias

O Embaixador da Indonésia em Timor-Leste, Sahat Sitorus, informou que o Serviço de Registo e Verificação Empresarial de Timor-Leste (SERVE-TL) registou, atualmente,…
Moçambique recebe apoio de 4.6 biliões de meticais da Alemanha

Moçambique recebe apoio de 4.6 biliões de meticais da Alemanha

Moçambique recebeu nesta quinta-feira, 17 de junho, 4.6 biliões de meticais da Alemanha para o setor da Educação e obras públicas. A…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin