Cabo Verde

Cabo Verde: Oposição questiona nomeação de Óscar Santos para o BCV

A presidente do PAICV, Janira Hopffer Almada, questionou através da sua página no Facebook a recente nomeação, pelo Governo, do ex-edil da Câmara Municipal da Praia, Óscar Santos, para cargo de governador do Banco de Cabo Verde (BCV). 

A dirigente do maior partido da oposição no arquipélago lembrou que, no passado recente, o MpDformaçãpolítica no poder, tinha questionado a nomeação de um ex-ministro do governo do PAICV ao mesmo posto, em que denunciava tratar-se de um alegado caso de “nepotismo e clientelismo”, pondo em causa o sistema financeiro. 

“Hoje, a nomeação de um Ex-Presidente da Câmara Municipal já não põe em causa a confiança do Sistema Financeiro?”, perguntou a candidata a primeira-ministra nas eleições legislativas de 2021. 

Também o líder da UCID, organização política igualmente na oposição, criticou a nomeação de Óscar Santos. Para António Monteiro trata-se de uma “afronta à democracia” e uma “atitude de desespero” do MpD. 

O político disse ainda que o sucedido é de uma “irresponsabilidade terrível,  numa altura em que se está próximo das legislativas. “Em democracia isso não se faz e não se aceita questões desse tipo. O bom-senso aconselha que mesmo que quisessem nomear Óscar Santos devia-se esperar os resultados das novas eleições”, defendeu. 

MpD defende-se das acusações 

Em reação às críticas, o MpD partilhou que considera “normal e natural” a nomeação de Óscar Santos, por ser um “economista conceituado no país”. 

posição foi defendida pela líder do grupo parlamentar do partido, Joana Rosa, que disse ter “dúvidas se no seio do PAICV haja alguém com formação sólida na economia tal como Óscar Santos”. Como tal, acrescentou, a escolha foi baseada “pelo mérito e pela competência”. 

“É isso que o país precisa, de gente competente em lugares também de algum interesse”sublinhoumencionando que “o BCV vai com certeza ganhar um quadro com status’ do nível de Óscar Santos e que o país estará a ganhar. 

Isso não irá pôr em causa o BCV, enquanto entidade reguladora, daquilo que é o princípio da independência perante os poderes públicos”, concluiu.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo