Cabo Verde

Cabo Verde: PAICV acusa MpD de subornar munícipes

PAICV na Assembleia de Cabo Verde

O deputado José Manuel Monteiro, da bancada do PAICV, acusou MpD de comprar a consciência dos cidadãos mais vulneráveis nas eleições autárquicas de 25 de outubro do ano passado. 

Segundo o político, várias situações estranhas ocorreram nos dois últimos meses do mandato anterior, que acabaram por adulterar o desfecho eleitoral. A observação foi feita nesta segunda-feira, 18 de janeiro, na primeira sessão ordinária da Assembleia Municipal da Ribeira Grande. 

“Fomos confrontados com uma luta desigual e desleal, onde o MPD, partido vencedor destas eleições, socorreu-se de recursos do município e de habituais manobras e artimanhas para atingir os seus propósitos. Isto ficou totalmente claro, à vista de todos. Só não viu quem não quis ver”, sublinhou.

O eleito municipal acrescentou que a democracia saiu fragilizada, uma vez que muitos eleitores, mesmo conscientes da necessidade de uma mudança de paradigma na governação municipal, terão sido alegadamente vencidos pelas fragilidades humanas e pelas dificuldades económicas, causadas pela falta de oportunidades e de condições no país para acederem a recursos mínimos, de maneira a suprirem necessidades básicas. 

Assim, continuou, terão aceite “migalhas” durante e nos últimos dias da campanha eleitoral, por parte do MpD, o que os tornou reféns e condicionados no exercício pleno dcidadania. 

MpD rejeita acusações 

Por sua vez, dirigente da bancada do MpD, partido no poder, frisou que as acusações proferidas pela bancada do PAICV eram “graves”. Como tal, exigiu provas “concretas” que comprovassem a intervenção do deputado José Manuel Monteiro. 

“Os eleitores são suficientemente maduros, já deram provas disso, para se deixarem corromper por migalhas. Daí que gostaria que a bancada do PAICV apresentasse aqui factos concretos que corromperam e que, de certo modo, alterou resultado das eleições aqui na Ribeira Grande”solicitou Anísio Rodrigues. 

Ao intervir na discussão, o presidente da Câmara da Ribeira Grande, Orlando Delgado, disse que considerava “inconcebível”“inaceitável” a crítica do PAICV. 

“Temos de respeitar os homens e mulheres ribeira-grandenses. Cada um votou como entendeu que deveria votar. Ninguém compra a consciência de ninguém. Não aceitamos que o senhor venha cá com esse tipo de demagogia barata tentando acusar as pessoas”declarou. 

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo