Cabo Verde: PAICV alerta que OGE deixou mais de 18 mil funcionários sem aumento salarial

O líder parlamentar do PAICV, Rui Semedo, acusou o primeiro-ministro e o Governo cabo-verdiano de enganarem os indivíduos ingénuos através do quarto Orçamento do Estado para 2019, ao mencionarem um aumento salarial de 2,2% apenas para uma mínima parte dos trabalhadores da Administração Pública, que corresponde a pouco mais de 1.000 funcionários num universo de cerca de 20.000 mil servidores do Estado, ficando mais de 18.000 sem nada.

As declarações do membro do maior partido da oposição foram feitas esta quinta-feira, 29 de novembro, durante o debate do Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2019 na Assembleia Nacional, tendo o mesmo considerado que este ficou longe de satisfazer as principais promessas eleitorais feitas aos cabo-verdianos por parte do MpD no Governo. Ao dirigir-se ao primeiro-ministro, o político fez questão de realçar que, sendo “Ulisses Correia e Silva um homem de boa memória”, saberia então que a proposta atual não é a mesma que foi feita anteriormente ao povo e nem era este o compromisso assumido com os eleitores.

“Esta promessa bandeira da campanha e ícone do Programa da legislatura caiu por terra e no seu lugar vimos os festejos e as comemorações de metas muito menos ambiciosas de 3% ou 4%, quando já por altura da aprovação do primeiro Orçamento, em 2016, já se tinha, como dado assente, um crescimento de 4%, fruto das condições criadas pela governação anterior”, recordou.

O líder da bancada do PAICV concluiu que os resultados da atual governação do MpD são negativos, tendo provocado a degradação dos principais indicadores de desenvolvimento de Cabo Verde. “Senhor primeiro-ministro, os resultados da sua governação têm um grande saldo de aumento da pobreza, de proliferação de barracas e bairros degradados, de degradação das condições de vida das pessoas e de erosão dos indicadores de condição de vida das famílias”, enumerou durante o debate.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Guiné-Bissau: Governo extingue feriados nacionais e é acusado de violar a lei e a história

Guiné-Bissau: Governo extingue feriados nacionais e é acusado de violar a lei e a história

O Governo guineense através do Decreto nº 1/2023 de 19 de Janeiro determinou que 23 de Janeiro, outrora dia dos…
Moçambique: MONARUMO defende isenção do IVA para água e energia

Moçambique: MONARUMO defende isenção do IVA para água e energia

O Movimento Nacional para Recuperação da Unidade Moçambicana (MONARUMO) comentou a recente diminuição do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA),…
Angola garante usar 77% de energia renovável até 2027

Angola garante usar 77% de energia renovável até 2027

O chefe de Estado angolano, João Lourenço, assumiu o compromisso de o país usar 77% de energia renovável até 2027. …
Cabo Verde: Turismo e privatizações financiam fundo contra pobreza extrema

Cabo Verde: Turismo e privatizações financiam fundo contra pobreza extrema

O turismo e privatizações em Cabo Verde decidiram financiar o fundo MAIS, definido pelo Governo e criado com o objetivo…