Cabo Verde: PAICV diz que houve redução de 20% no setor da saúde e Governo contesta

A líder do PAICV, Janira Hopffer Almada, acusou o Governo cabo-verdiano de reduzir em cerca de 20% o orçamento de investimento no setor da saúde, tendo esta crítica sido feita durante a discussão e votação da proposta do Orçamento do Estado (OE) para 2020.

A dirigente desafiou no Parlamento o ministro da Saúde e Segurança Social, Arlindo do Rosário, a dizer a verdade ao povo, alegando que “a saúde está a transformar-se cada vez mais num luxo em Cabo Verde”, além de ter aproveitado a ocasião para questioná-lo sobre se o orçamento debatido contempla a cobertura universal, o pacote de cuidados essenciais na saúde acessível a todos, o aumento no tratamento diferenciado para neurocirurgia, diálise e quimioterapia e quais serão os centros de saúde que vão ser equipados com materiais de diagnóstico, entre outras questões.

A mesma fonte instou ainda o Executivo a apresentar os acordos de parceria com os países estrangeiros que contemplam o sistema das evacuações e as medidas para melhorar a telemedicina, de forma a aumentar a capacidade de diagnóstico e reduzir as evacuações.

“É isso que o povo quer saber, e é evidente que a saúde está a transformar-se cada vez mais num luxo e é inadmissível o que está a acontecer em alguns hospitais como o hospital central da Praia”, reiterou.

Por sua vez, Arlindo do Rosário acusou a presidente do maior partido da oposição de passar informação “falsa e sem credibilidade”, garantindo que de 2015 a 2020 o orçamento para o setor da saúde é o que mais cresceu em cerca de três milhões de contos (27.207 euros).

Segundo o governante, cerca de 1.068 trabalhadores entraram para o Ministério da Saúde de 2016 a 2020, sendo este um dos maiores empregadores do país, o que contribui para a diminuição do desemprego. Também os cursos com mais saída estão ligados ao setor da saúde, pelo facto de haver promoção do emprego e recrutamento, acrescentou.

Quanto aos hospitais centrais, regionais e às delegacias de saúde, os orçamentos dos mesmos subiram até seis vezes mais, de 2015 a 2020, ajuntou, assegurando que o OE para o próximo ano prevê recrutar mais de 120 trabalhadores, entre técnicos e pessoal operacional, e que os equipamentos médicos hospitalares orçados em milhão de contos chegam a Cabo Verde na próxima semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Guiné Equatorial acolhe delegação da CPLP

Guiné Equatorial acolhe delegação da CPLP

Uma delegação da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) aterra na Guiné Equatorial esta segunda-feira, 07 de março, segundo…
Cabo Verde:Ilha do Sal, profissionais da saúde promovem feira de saúde

Cabo Verde:Ilha do Sal, profissionais da saúde promovem feira de saúde

A comunidade da Ribeira Funda, no Sal, foi beneficiada com uma feira de saúde, que ofereceu serviços e orientações de…
Reino Unido reforça sanções contra oligarcas russos

Reino Unido reforça sanções contra oligarcas russos

O Reino Unido informou que vai reforçar as sanções contra a Rússia através de uma aprovação de legislação ocorrida nesta…
Entrevista a Olga Boyechko: "Nós temos de olhar para a Rússia como para a Alemanha Nazi nos anos 40"

Entrevista a Olga Boyechko: "Nós temos de olhar para a Rússia como para a Alemanha Nazi nos anos 40"

Olga Boyechko, de 23 anos, é uma cidadã de origem ucraniana, que vive em Portugal há quase 19 anos. É…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin