Cabo Verde: PAICV manifesta-se contra OE 2022

A discussão na generalidade da proposta do Orçamento do Estado (OE) para 2022 vai começar esta quarta-feira, 24 de novembro, no Parlamento de Cabo Verde. Trata-se da segunda sessão plenária deste mês na Assembleia Nacional. 

O PAICV já informou que vai votar contra o documento, por considerar que o mesmo apresenta “altos custos” para o povo cabo-verdiano. Isto porque diz estar previsto o aumento de impostos e a desvalorização do salário real no arquipélago. 

A posição foi divulgada numa conferência de imprensa realizada nesta terça-feira, dia 23, para balanço das jornadas parlamentares. Segundo o dirigente do grupo parlamentar do PAICV, João Baptista Pereira, os cidadãos vão ter de suportar o aumento do custo da água e de eletricidade em 37%, bem como a subida no Imposto sobre Valor Acrescentado (IVA) de 15% para 17% e o aumento de dois mil produtos em direitos de importação em 5%. 

“Cabo Verde neste momento está classificado com o risco de incumprimento”, disse, ao comentar o crescimento do défice da dívida pública. O político criticou igualmente o aumento dos custos do “Governo mais gordo na história de Cabo Verde”, uma vez que é constituído por muitos membros. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin