Cabo Verde: PAICV quer “gestão transparente” do dinheiro disponibilizado por Portugal

O PAICV apelou a uma “gestão transparente” dos montantes disponibilizados por Portugal, no âmbito da cimeira bilateral com o país europeu. Foram pedidas medidas que aliviem a vida dos cabo-verdianos no contexto atual. 

O pedido foi feito pelo dirigente da bancada parlamentar do PAICV, João Baptista Pereira, nesta quinta-feira, 10 de março. Segundo o político, citado pela “Inforpress”, com esta “folga orçamental” que o país vai ter, no quadro dessa cooperação, a gestão dos recursos deve ser feita da maneira “mais transparente possível”

“Nós pretendemos que a gestão desses recursos seja feita da forma mais transparente possível e que os cabo-verdianos possam conhecer os projetos, opinar e saber para onde vão esses recursos”, esclareceu. 

Baptista Pereira falou sobre a necessidade de os investimentos terem “reflexos” na vida da população, ainda mais numa altura em que há a “escalada generalizada de preços e que tende a agravar-se”

“Queremos que o Governo se comprometa, efetivamente, a avançar com medidas de mitigação, a começar pelos subsídios, pelas medidas de estabilização dos preços do trigo e do milho, mas também medidas que possam impactar a nível dos combustíveis”, partilhou. 

Governo critica PAICV 

Em reação a estas declarações, a ministra de Assuntos Parlamentares e do Conselho de Ministros, Filomena Gonçalves, criticou a posição da maior formação política na oposição. Isto porque a mesma deveria estar a regozijar-se com o sucesso que tem sido a diplomacia económica de Cabo Verde, concluiu. 

De acordo com a governante, a VI cimeira Cabo Verde – Portugal enquadra-se nas relações internacionais de cooperação entre estados que têm dado os seus frutos e “não entre partidos ou amigos”

“O PAICV tem problemas com a gestão da coisa pública e fica no seu pedestal de desconfiança. Deve ter lá as suas razões, mas este Governo tem prestado contas e o PAICV, em vez de enaltecer, levantou suspeições sobre o valor disponibilizado”, observou. 

Filomena Gonçalves salientou que o Governo tem prestado contas e desafiou a oposição a denunciar qualquer acto em que os recursos não foram canalizados para as pessoas. 

MpD e UCID respondem 

Por sua vez, o MpD, partido no poder e que suporta assim o Governo, lamentou através do líder da bancada, João Gomes, o facto de o PAICV “sempre aproveitar as oportunidades para atirar alfinetadas”

Já o presidente da UCID, António Monteiro, referiu que “qualquer cimeira” feita entre Cabo Verde e outro país, desde que respeite os interesses nacionais, terá sempre o apoio do partido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Brasil: missão de solidariedade resgata 68 refugiados da guerra, na Ucrânia 

Brasil: missão de solidariedade resgata 68 refugiados da guerra, na Ucrânia 

Pousou em solo nacional na manhã de quinta-feira (10) o avião da Força Aérea Brasileira (FAB) que trazia 42 brasileiros…
Ucrânia aguarda corredor humanitário em Mariupol

Ucrânia aguarda corredor humanitário em Mariupol

A vice-primeira-ministra ucraniana, Iryna Vereshchuk, informou que o país espera que um corredor humanitário seja aberto com sucesso a partir…
Bruxelas sugere a líderes mais 500 milhões de euros em armas para Ucrânia

Bruxelas sugere a líderes mais 500 milhões de euros em armas para Ucrânia

O Alto Representante da União Europeia (UE) para a Política Externa, Josep Borrell, disse que propôs aos chefes de Estado e…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin