Cabo Verde: PAICV questiona funcionamento dos hospitais centrais

O PAICV quer interrogar o ministro da Saúde de Cabo Verde, Arlindo Nascimento do Rosário, acerca do funcionamento dos hospitais centrais. Tal poderá ser feito no debate com o governante, que foi indicado pela bancada do MpD, partido no poder, e está previsto acontecer de 10 a 12 de novembro. 

“Nós temos, neste momento, utentes dos hospitais centrais que se queixam de atraso na marcação das análises. As pessoas dizem que entre marcar uma análise e ter a resposta vão mais de dois meses nos hospitais centrais. Há longas listas de espera para as cirurgias, e também para as consultas”, afirmou a vice-presidente da bancada parlamentar do PAICV, Carla Lima, citada pela “Rádio Morabeza”.

“Nós entendemos que houve um esforço do país muito concentrado na luta e no combate contra Covid, mas a saúde não é só Covid, há muitas outras áreas. Não nos podemos dar ao luxo de deixar nenhuma área de fora quando falamos de saúde”, continuou. 

Também de acordo com a mesma fonte, o governante será igualmente questionado sobre o arranque das obras do novo Hospital Central da Praia, projeto anunciado no mandato anterior. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin