Cabo Verde

Cabo Verde: PAICV volta a questionar gestão dos transportes aéreos

Líder do PAICV, Janira Hopffer Almada
Janira Hopffer Almada

A presidente do PAICV, Janira Hopffer Almada, questionou mais uma vez a transparência na privatização da empresa Transportes Aéreos de Cabo Verde (TACV) – que era Binter CV e é também conhecida como Cabo Verde Airlines – e o acordo com a Binter. Tal foi feito através de uma nova carta remetida ao primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

A dirigente do maior partido da oposição no arquipélago interrogou as políticas públicas para o referido setor. Para Hopffer Almada, o Governo deve informar de forma clara os cabo-verdianos como foram levados a cabo os interesses nacionais nestes negócios.

“É preciso realçar que, publicamente, a vossa governação sempre justificou o ‘desmantelamento’ dos TACV a nível doméstico, com a entrada de uma companhia privada, e que, por essa entrada e entrega, em monopólio, do mercado doméstico, a essa Companhia, o Estado de Cabo Verde passaria a deter 30% no Capital Social dessa mesma Empresa (a Binter)”, pode ler-se na carta.

“Os cabo-verdianos precisam conhecer esse processo, que tem a ver com a gestão da coisa pública, e poder entender que interesses estavam, ou não, a ser acautelados e salvaguardados”, lê-se ainda.

A missiva serviu igualmente para relembrar o chefe do Governo que o papel da oposição democrática é, para além de outras funções, fiscalizar a ação governativa com base em dados verídicos, que possam esclarecer sobre o que se pretende fazer para serem cumpridos os compromissos assumidos no Programa do Governo.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo