Cabo Verde poupa 170 mil contos sem segunda volta nas presidenciais

A diretora do Gabinete do Processo Eleitoral (DGAPE) em Cabo Verde, Arlinda Chantre, afirmou que o gasto de abril até outubro nas eleições presidenciais corresponde, aproximadamente, a 300 mil contos (2.720 euros). 

Em algumas candidaturas os valores arrecadados ajudaram a cobrir as despesas no “investimento” da caça ao voto, incluindo toda a propaganda de campanha. Esta envolve a criação de t-shirts, bandeiras, outdoors, cartazes, sites, entre outras coisas. 

Estima-se que a candidatura de José Maria Neves, vencedor do sufrágio de 17 de outubro, tenha desembolsado entre 50 e 70 mil contos (entre 453 e 635 euros). Quanto à candidatura de Carlos Veiga, o valor estimado é de 115 mil contos (1.043 euros). 

Em relação aos candidatos independentes, que não têm apoio de partidos políticos, também terão conseguido encaixar verbas significativas se se contar com os investimentos de campanha e, em alguns casos, quase inexistentes, se comparados com os candidatos apoiados pelos principais partidos. 

Casimiro Pina, que ficou em terceiro lugar na votação, vai encaixar 2.507.250 escudos (22.738 euros). Seguem-se Hélio Sanches (14.399 euros) e Gilson Alves e Joaquim Monteiro, ambos acima de um milhão de escudos (mais de nove mil euros). 

Isto porque o Código Eleitoral estabelece o valor de 750 escudos (6,8 euros) por voto à candidatura que receber pelo menos 10% dos votos válidos. Os candidatos são assim compensados com o dinheiro dos contribuintes. 

Poupados 170 mil contos sem segunda volta 

A diretora do Gabinete de Apoio ao Processo Eleitoral estima em 170 mil contos (1.542 euros) a poupança que o Estado vai obter por não haver uma segunda volta para as presidenciais. 

Para todo o processo eleitoral está contemplada uma verba de 300 mil contos (2.721 euros), declarou.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Cabo Verde: Governo fortalece cerco à criminalidade

Cabo Verde: Governo fortalece cerco à criminalidade

A Assembleia Nacional de Cabo Verde aprovou na especialidade, por proposta do Governo, as novas alterações ao diploma que aperta…
África do Sul trava entrada ilegal de moçambicanos no país

África do Sul trava entrada ilegal de moçambicanos no país

As autoridades sul-africanas impediram a entrada ilegal de 40 moçambicanos no seu território, por ocasião do regresso de várias pessoas…
Comissão Mista Angola-Brasil reúne-se entre março e abril

Comissão Mista Angola-Brasil reúne-se entre março e abril

A Comissão Mista Angola-Brasil vai reunir-se entre março e abril para impulsionar as relações de cooperação bilateral.  Esta foi uma…
Timor-Leste: PR diz que Brasil pode apoiar na autossuficiência na agricultura

Timor-Leste: PR diz que Brasil pode apoiar na autossuficiência na agricultura

O Presidente da República de Timor-Leste, José Ramos-Horta, partilhou publicamente que o Brasil pode apoiar o seu país a tornar-se…