Cabo Verde: Primeiro-ministro quer que diáspora regresse ao país

O primeiro-ministro cabo-verdiano afirmou numa entrevista que pretende que Cabo Verde seja um país atrativo para que consiga reverter o fluxo migratório e permitir o regresso de “quadros, técnicos e cidadãos” cabo-verdianos. Para Ulisses Correia e Silva, o país não pode ser “repulsivo” e sim um local onde as pessoas se “sintam bem e onde possa haver regressos, nomeadamente de quadros e técnicos, mas também de cidadãos que queiram continuar depois a sua vida em Cabo Verde”.

As declarações foram feitas à margem da II Gala “Cabo Verde Sucesso”, realizada este sábado, 01 de dezembro, no Convento do Beato, em Lisboa. O representante do Governo realçou a importância da diáspora, que pode “dar uma contribuição positiva para o país” através das competências e capacidades na área do empreendedorismo, da academia, da tecnologia e da participação política nos países de acolhimento.

De acordo com Correia e Silva, membro do Movimento para a Democracia (MpD), existem atualmente vários instrumentos em funcionamento para que se garanta que as referidas metas sejam atingidas, entre elas a mobilidade académica, através da qual os docentes podem lecionar cursos ou dar conferências em universidades cabo-verdianas e realizar o intercâmbio com outras universidades fora do país.

O político justificou a escolha de Lisboa para palco da segunda edição da gala “Cabo Verde Sucesso” devido às semelhanças com o projeto que ambiciona para Cabo Verde, querendo que o seu país alcance o estado de Lisboa, uma cidade que considera “simpática, acolhedora, com bom sentido de integração, multiculturalidade, moderna, cosmopolita e que hoje está a afirmar-se no mundo”. O evento foi realizado para homenagear 15 personalidades da diáspora cabo-verdiana que se destacaram nas suas comunidades, distribuídas por cinco categorias, entre elas Empreendedorismo, Ciência e Tecnologia, Cultura, Desporto e Cidadania e Educação.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Guiné-Bissau: Governo extingue feriados nacionais e é acusado de violar a lei e a história

Guiné-Bissau: Governo extingue feriados nacionais e é acusado de violar a lei e a história

O Governo guineense através do Decreto nº 1/2023 de 19 de Janeiro determinou que 23 de Janeiro, outrora dia dos…
Moçambique: MONARUMO defende isenção do IVA para água e energia

Moçambique: MONARUMO defende isenção do IVA para água e energia

O Movimento Nacional para Recuperação da Unidade Moçambicana (MONARUMO) comentou a recente diminuição do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA),…
Angola garante usar 77% de energia renovável até 2027

Angola garante usar 77% de energia renovável até 2027

O chefe de Estado angolano, João Lourenço, assumiu o compromisso de o país usar 77% de energia renovável até 2027. …
Cabo Verde: Turismo e privatizações financiam fundo contra pobreza extrema

Cabo Verde: Turismo e privatizações financiam fundo contra pobreza extrema

O turismo e privatizações em Cabo Verde decidiram financiar o fundo MAIS, definido pelo Governo e criado com o objetivo…