Cabo Verde: Primeiro-ministro quer reduzir para 20 mil o número de jovens sem emprego

O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, afirmou nesta quinta-feira, 28 de novembro, que tem o objetivo de “reduzir para 20 mil”, em 2021, o número de jovens sem emprego, sem educação e sem formação, o que corresponde a 10% da população de Cabo Verde.

De acordo com o Chefe do Governo, a meta será alcançada através do contínuo investimento nos programas de formação e de estágios profissionais, bem como das políticas de acesso à inclusão, à educação e às políticas de “promoção e incentivos” ao empreendedor jovem e à “dinâmica do crescimento económico”.

As declarações foram feitas no debate sobre o emprego jovem, realizado no Parlamento, tendo esta sido uma iniciativa agendada a pedido do grupo parlamentar do PAICV, maior partido na oposição.

“Reduzir de forma significativa a proporção de jovens sem emprego, sem educação e sem formação é um dos objetivos do desenvolvimento sustentável que pretendemos atingir”, garantiu, acrescentando que as reformas do sistema educativo em curso estão a ter efeitos, resultando em “menos jovens que abandonam a escola”.

Para o ano letivo 2020/2021, o governante assegurou que vai haver “gratuitidade” completa do ensino, beneficiando, de acordo com as suas palavras, 53 mil adolescentes e jovens em todo o país. Até ao momento, ajuntou, o Governo disponibilizou 11.283 bolsas de estudo para o ensino superior, correspondentes a um investimento de mais de dois milhões de contos (18.138 euros).

Quanto às políticas de emprego, estas estão a “aumentar a empregabilidade através da massificação de formação profissional, reconversão profissional e estágios profissionais”.

“Aumentámos três vezes o investimento para a subsidiação da formação profissional”, disse o primeiro-ministro, revelando que o número de beneficiários de formação profissional subiu de 3.616 em 2016 para 5.082 de janeiro a setembro de 2019.

“Estamos conscientes dos desafios e vamos juntos vencê-los para reduzir de forma significativa o número de jovens sem emprego, sem educação e sem formação”, concluiu, prometendo continuar a “dinamizar” a economia das ilhas, com vista a criar “mais oportunidades de investimentos e de emprego”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: INSS apela a contribuintes da empresa Dougongo Cimentos a aderir ao uso do sistema on-line

Moçambique: INSS apela a contribuintes da empresa Dougongo Cimentos a aderir ao uso do sistema on-line

A brigada da Delegação distrital do Instituto Nacional de Segurança Social (INSS) de Matutuine, na província de Maputo, deslocou-se, na…
Cabo Verde: Walter Barros luta contra a criminalidade com o projeto “Believe”

Cabo Verde: Walter Barros luta contra a criminalidade com o projeto “Believe”

O projeto “Believe”, foi criado dentro da cadeia de são Martinho pelo Walter Barros, em novembro de 2017 depois de…
Guiné Equatorial acolhe delegação da CPLP

Guiné Equatorial acolhe delegação da CPLP

Uma delegação da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) aterra na Guiné Equatorial esta segunda-feira, 07 de março, segundo…
Cabo Verde:Ilha do Sal, profissionais da saúde promovem feira de saúde

Cabo Verde:Ilha do Sal, profissionais da saúde promovem feira de saúde

A comunidade da Ribeira Funda, no Sal, foi beneficiada com uma feira de saúde, que ofereceu serviços e orientações de…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin