Cabo Verde sai da lista dos paraísos fiscais da UE

O vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças de Cabo Verde, Olavo Correia, declarou que a saída definitiva do arquipélago da lista de paraísos fiscais da União Europeia (UE) vai permitir atrair investimento e reforçar a credibilidade externa. 

O governante referia-se assim à lista de jurisdições fiscais não cooperantes, que foi atualizada esta semana pelo Conselho da UE e que Cabo Verde integrou até 2020 na “lista cinzenta”

“Trata-se de um ganho que exigiu muito trabalho e que a sua manutenção continuará a demandar o mesmo nível de empenho e compromisso de forma transversal. A posição que Cabo Verde ocupava neste domínio era realmente um risco acrescido. Estando na ‘lista cinzenta’, havia efetivamente o risco de, não cumprindo com os requisitos necessários, o país ser colocado na ‘lista negra’”, esclareceu. 

Ainda de acordo com a mesma fonte, depois de dois anos “fora da Lista de Jurisdições Não Cooperantes da União Europeia” e estando na chamada “lista cinzenta”, o país “consegue completar na íntegra o processo”

“A saída de Cabo Verde da lista de Jurisdições Fiscais não Cooperantes da UE é um grande ganho para Cabo Verde. É mais um importante passo no processo de transparência e fortalecimento da imagem reputacional de Cabo Verde”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin