Cabo Verde: Sanches queixa-se de tratamento desigual na sua candidatura

O candidato presidencial Hélio Sanches denunciou que terá sofrido desrespeito e um tratamento desigual e parcial na noite de sexta-feira, 15 de outubro, último dia de campanha eleitoral, comparativamente a outros concorrentes à Presidência da República de Cabo Verde

A redação do e-Global recebeu um comunicado de imprensa da parte de Sanches sobre o sucedido, datado de 16 de outubro na cidade da Praia e assinado pelo Mandatário Nacional Edson Ribeiro. 

A candidatura de Hélio Sanches a Presidente da República vem pela presente apresentar um veemente protesto contra a candidatura de José Maria Neves à Presidente da República e à Câmara Municipal da Praia pelo facto de terem essas duas entidades, deliberadamente, impedido a sua candidatura o acesso à sua sede de campanha, sita em Achada Santo António – Praia, e a realização de atividades de encerramento de campanha ali programadas” na noite da passada sexta-feira, começa por referir o documento. 

“Na verdade, a Câmara Municipal da Praia autorizou a candidatura de José Maria Neves a fazer o seu comício de encerramento de campanha a menos de 10 metros da sede de campanha do candidato Hélio Sanches com total desrespeito por essa candidatura, que tinha uma atividade de encerramento de campanha na sua sede, atividade essa que ficou abortada porque foram vedadas as vias que davam acesso à sede, tendo inclusive os participantes do comício de José Maria Neves utilizado um som que tornou inaudível o som que a candidatura de Hélio Sanches vinha utilizando na sua sede”, prosseguiu. 

Neste âmbito, a candidatura de Hélio Sanches “chamou a polícia, que constatou o facto, mas disse não ser da sua responsabilidade a autorização dos espaços para comícios. Perante esta flagrante violação dos princípios democráticos de liberdade e respeito por todas as candidaturas, previsto no artigo 95º e 96º do Código Eleitoral, a candidatura de Hélio Sanches e os seus apoiantes acabaram por abandonar a sua sede de campanha sem realizar as suas atividades de campanha na sede como estava previsto”

“Só o desespero e a iminente derrota eleitoral no dia 1 de outubro levam José Maria Neves e a Câmara Municipal da Praia a terrem uma atitude tão baixa e de desrespeito à candidatura de Hélio Sanches, que sempre pautou a sua campanha eleitoral pelo respeito às candidaturas adversárias, à lei e à Constituição da República”, criticou. 

A candidatura do político em questão terminou dizendo que vai apresentar queixa em relação à situação. “Com esta atitude grave, a Câmara Municipal da Praia violou o princípio da neutralidade e imparcialidade, previsto no artigo 97º do Código Eleitoral, e ainda o princípio da liberdade previsto nos artigos 94º e 95 º, também do Código Eleitoral, pelo que a candidatura de Hélio Sanches vai apresentar uma queixa contra a candidatura de José Maria Neves e a Câmara Municipal da Praia junto da Comissão Nacional de Eleições”

Sanches aceita a vitória de Neves 

Entretanto, depois de saber que José Maria Neves venceu o sufrágio presidencial no domingo, dia 17, Sanches aceitou “democraticamente o veredicto do povo” e felicitou o novo chefe de Estado de Cabo Verde. 

“Em primeiro lugar, gostaria de felicitar o candidato que, ao que tudo indica, venceu as eleições na primeira volta, José Maria Neves, esperando que ele efetivamente venha a ser o Presidente da República de todos os cabo-verdianos”, declarou. 

Segundo os primeiros dados provisórios das eleições, Hélio Sanches ficou em quinto lugar, com 2.102 dos votos, equivalente a 1,2%. Em “democracia é o povo que ordena e é o povo que decide”, concluiu, apesar de admitir que os resultados não corresponderam às espectativas da sua candidatura. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin