Cabo Verde: Sol Atlântico reduz número de autocarros nos próximos dois dias por causa de greve

O anúncio foi feito pela empresa Sol Atlântico, numa publicação nas suas redes sociais, por causa da greve dos condutores, que afetará a frota de autocarros na cidade da Praia, em Cabo Verde.

A empresa veiculou ainda que não houve acordo para a definição dos serviços mínimos, que foi pedida junto das entidades competentes, no passado dia 17, nomeadamente no que concerne à requisição civil para a garantia dos mesmos.

Pelo facto de ainda não terem tido uma resposta, a empresa não conseguiu garantir os serviços mínimos para o funcionamento dos autocarros, o que poderá implicar alguns atrasos e constrangimentos aos utentes.

É de salientar que a última greve de 48 horas realizada pelos condutores da empresa Sol Atlântico teve uma adesão de 95%, e Gilberto Lima, presidente do Siacsa, Sindicato da Indústria Geral Alimentação Construção Civil e Afins, afirma que se não for encontrada uma solução para os problemas dos trabalhadores será feita uma outra greve.

A greve foi realizada, por causa da suspensão dos subsídios de turno e de reserva de suspender o subsídio de alimentação nos valores de 4 mil escudos e 1.400 escudos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin