Cabo Verde: TACV irá iniciar operações em dezembro de 2021

O anúncio foi feito pelo Primeiro Ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, durante o debate no Parlamento, sobre “Transparência como um fator de desenvolvimento”, afirmando que a TACV poderá operar ainda no dezembro este ano.

Ulisses Correia e Silva, afirma que se “tudo correr como previsto, a TACV começará a operar ainda durante o mês de dezembro deste ano”, realçando que as medidas necessárias para o retorno da companhia aérea “estão a ser tomadas”.

“A solução para a TCAV será a que vier a ser necessária”, diz o chefe do Governo na medida em que o Estado “assume as suas responsabilidades relativamente à companhia de bandeira e à sua reestruturação”.

Relativamente à entrega do contrato emergencial com a BestFly, o Primeiro-Ministro deixou claro que não há nada a esconder, e que ainda não receberam o contrato é pelo facto de que ainda não foi entregue um requerimento formal para a entrega do contrato, “temos que cumprir as formalidades”.

É de relembrar que em julho, após a retoma da empresa pelo Estado, a companhia aérea declarou o cancelamento de todos os voos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin