Cabo Verde | Guiné-Bissau

Centro de energias renováveis e manutenção industrial de Cabo Verde disposta a formar jovens da Guiné-Bissau

O Centro de Energias Renováveis e Manutenção Industrial (CERMI) de Cabo Verde está disponível e preparado para acolher e formar jovens da Guiné-Bissau nas várias áreas em que actua e nas quais adquiriu uma considerável experiência, proporcionando aos seus formandos uma capacitação profissional de qualidade, com standard europeu, nomeadamente pela via da sua estreita parceria com o Centro de Competências do Luxemburgo e com instituições congéneres de outros países daquele continente.

Sistemas Solares Fotovoltaicos, Sistemas Eólicos, Instalações Eléctricas e Telecomunicações, Eficiência Energética, Soldadura Industrial, Climatização e Refrigeração, Inglês Técnico e Manutenção Industrial são os domínios de formação em que o CERMI formou já, desde a sua criação em 2015, centenas de jovens cabo-verdianos, com alto índice de empregabilidade.

O CERMI tem ainda formado jovens e técnicos seniores da CEDEAO e dos PALOP, nomeadamente de São Tomé e Príncipe, com níveis de reconhecida qualidade. Neste último caso, saíram recentemente do centro cerca de 30 jovens, que regressaram já ao seu país onde se encontram em regime de estágio curricular

“A nossa intenção é utilizarmos a experiência com São Tomé e Príncipe e replicar para outros Países de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), nomeadamente a Guiné-Bissau”, perspectivou o coordenador da Unidade de Formação e Pesquisa do CERMI, ao ser questionado sobre as oportunidades existentes para eventuais candidatos da Guiné-Bissau.

Nilton Lopes explicou que isso terá de ser feito a partir de um projecto específico que o CERMI estará na disposição de montar e materializar, desde que se criem determinadas condições para tal, à semelhança do que aconteceu com São Tomé e Príncipe.

“Os jovens de São Tomé e Príncipe formados em Sistemas Fotovoltaicos de Baixa Tensão e em Climatização no CERMI ainda se encontram em período de estágio, e temos recebido boas informações sobre a forma como está a decorrer essa fase, pelo que prevejo que a maior parte deles vão ser empregados pelas empresas onde estão a estagiar”, garantiu aquele responsável.

Os cursos ministrados pelo CERMI estão estruturados em diversos escalões, de acordo com o perfil de entrada, sendo que o mais alto é o nível 5, disponível para candidatos com o 12º ano de escolaridade. Estas acções de formação têm a duração de 09 meses em regime intensivo, das 08H00 às 16H00, acrescidos de 2 meses de estágio curricular.

O centro está a ministrar actualmente 11 cursos de diferentes níveis e em várias áreas, abarcando um total de 324 formandos cabo-verdianos. Em Setembro será aberto mais um ciclo de formação que acolherá outros 200 estudantes. Todos os formandos do CERMI recebem bolsas do Estado de Cabo Verde, em montantes que permitem custear os transportes, o alojamento, a alimentação e os uniformes.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo